Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Viveremos sempre — Familiares diversos


1


Carlos Alberto Elisei

COMENTÁRIOS


“Amigo, por que não te preparaste ante os imperativos do Céu?”

Esta frase encontra-se no livro do Espírito Neio Lúcio, “Jesus no Lar” — Ed. FEB, psicografado por Francisco Cândido Xavier, página 32, no capítulo “O Servo Inconstante”.

Muito nos diz quanto ao preparo em nossas vidas para os imperativos divinos.

A perda de pessoas amadas, traz a dor nos corações comprometidos com os desígnios de Deus. O desespero e as lágrimas chegam, a tristeza se instala e logo se está no chão da desesperança.

Assim acontece porque somos humanos e cheios de amor aos que nos são caros.

A realidade de Deus porém é outra. Lutar, trabalhar e aplicar-se no bem comum, esta é a lei.

Ama a teu semelhante como a ti mesmo, na razão e no equilíbrio do amor resignado.

Esta é a imagem que Edson Elisei e Elvira Martins Elisei, procuraram entender e buscar no trabalho da caridade, preparando-se para os imperativos do Céu.

Carlos Alberto, na intimidade Cacá, filho único sem vícios, brincalhão e amoroso em todos os momentos, preenchia de alegria o lar de seus pais.

Como podia imaginar que uma verruga congênita pudesse ser a causa de sua partida para o Plano Espiritual. Ao extirpá-la, originou-se daí um processo de metástase cerebral de melanoma. A ocorrência para seus pais e familiares representou um enorme choque.

Católicos, desconheciam totalmente o trabalho de Chico Xavier. Após algum tempo da partida de Carlinhos, por comentários de pessoas condoídas pelo sofrimento do casal, resolveram procurar Chico Xavier. Hoje, com algumas cartas recebidas de seu filho, o desespero e as saudades transformaram-se em esperança e alegria. A paz começou a florescer e, com o estudo da Doutrina Espírita na qual hoje estão integrados, trabalhando junto de Carlinhos, procuram levar benefícios de reconforto e conhecimentos sobre a continuidade da vida a outras famílias que vivem esses momentos de sofrimento.

Integrados nessa tarefa, encontraram a verdadeira fé e, conforme suas próprias palavras, antes disso, a morte para eles tinha um aspecto terrível e assustador. Após esse drama e por tudo o que receberam da misericórdia de Deus, entenderam que a morte é lei natural do corpo e que a sobrevivência do espírito é que prevalece.

Carlinhos continua vivo e, mais juntos do que antes, trabalham na mesma seara de Jesus e sentem, em todas as tarefas das quais participam no Centro Espírita “A Caminho da Luz”, a sua atual casa de caridade, o filho a lhes assessorar juntamente com outros espíritos jovens, levando às crianças carentes o seu amor e carinho na Creche de Juventude Nosso Lar. Participam também da equipe de Evangelho no Lar e, com outros companheiros, visitam os lares para a implantação do Culto do Evangelho no Lar. Sentem que a verdadeira vida se resume em buscar Jesus através do trabalho e, assim, estão constantemente junto de seu filho Carlinhos.

Desponta aí um mundo novo de realizações e de novos conceitos. O que antes não viam, passaram a enxergar, entendendo as palavras do Mestre: “Aquele que tiver olhos de ver, verá”, bem como a grandeza e dedicação de Francisco Cândido Xavier que, com amor e disciplina, possibilitou a presença dos ensinamentos de Jesus através dos Benfeitores Espirituais à esta humanidade sofrida.


MENSAGEM DE CARLOS ALBERTO


1 Querido papai Edson e querida mãezinha Elvira, estamos unidos na seara do bem, procurando os caminhos novos da ascensão espiritual.

2 O sentimento manda que eu lhes fale de saudade, mas o coração me solicita que lhes reafirme a confiança de sempre no trabalho em que nos achamos imanizados uns aos outros.

3 Refiro-me aos serviços do “A Caminho da Luz”, o núcleo de atividade que nos fala sempre muito alto aos corações. Recebamos as tarefas com que fomos honrados, com a certeza de que Jesus nos protegerá.

4 Papai Edson, os nossos planos na casa de trabalho a que servimos, são extensos e nos exigirão muito tempo de esforço, mas é preciso caminhar em frente e admirá-los na condição de promessas e sementeiras da alegria e do progresso de amanhã.

5 Não me suponham esquecido. A mãezinha Elvira frequentemente me recomenda proteção para determinados companheiros, e confesso-lhe que me esforço por satisfazer a todas as solicitações.

6 Querida mãezinha, o trabalho é a nossa bênção maior.

7 Não temamos dificuldades imaginárias, porque os empreendimentos são do Cristo e o Divino Benfeitor saberá encontrar os caminhos justos para lhe doar a precisa concretização.

18 Unido ao esforço do papai Edson e da mãezinha Elvira para o bem de nossos semelhantes, que sempre redunda no bem para nós mesmos, abraça-os no carinho e na gratidão de todos os momentos, o filho sempre reconhecido.


.Carlos Alberto


ESCLARECIMENTOS


Carlos Alberto Elisei — Nascimento: 05 de junho de 1957. Desencarnação: 18 de dezembro de 1977. Idade 20 anos.

Pais — Edson Elisei e Elvira Martins Elisei — Rua Arariba, 160, São Paulo. SP.

Centro Espírita “A Caminho da Luz”; Creche Nosso Lar; Centro Juventude Nosso Lar — São Paulo, SP.


“Há oito anos encontramos nesses Núcleos de Trabalho, a oportunidade abençoada de servir. Queira Deus possamos dar sempre o nosso amor em benefício de nossos irmãos em desespero, auxiliando-os a encontrar a paz e a canalizarem todo o carinho e fraternidade a outros irmãos.” — EDSON ELISEI, ELVIRA MARTINS ELISEI.


.Rubens S. Germinhasi


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir