Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Vida e caminho — Autores diversos


9


Bem-aventurados os pobres de espírito

1 Quando Jesus reservou bem-aventuranças aos pobres de espírito, ( † ) não menosprezava a inteligência, nem categorizava o estudo e a habilidade por resíduos inúteis.

2 O Senhor, aliás, vinha enriquecer a Terra com Espírito e Vida.

3 O Divino Mestre, ante a dominação da iniquidade no mundo, honrava, acima de tudo, a humildade, a disciplina e a tolerância.

4 Louvando os corações sinceros e simples, exaltava Ele os que se empobrecem de ignorância,

  5 os que arrojam para longe de si mesmos o manto enganoso da vaidade,

  6 os que olvidam o orgulho cristalizado,

  7 os que se afastam de caprichos tirânicos,

  8 os que se ocultam para que os outros recebam a coroa do estímulo no imediatismo da luta material,

  9 os que renunciam à felicidade própria, a fim de que a verdadeira alegria reine entre as criaturas,

10 os que se sacrificam no altar da bondade, cultivando o silêncio e o carinho, a generosidade e a elevação, nos domínios da gentileza fraterna, para que o entendimento e a harmonia dirijam as relações comuns, no santuário doméstico ou na vida social e que se apagam, a fim de que a glória de Jesus e de seus mensageiros fulgure para os homens.

11 Aquele, assim, que souber fazer-se pequenino, embora seja grande pelo conhecimento e pela virtude, convertendo-se em instrumento vivo da Vontade do Senhor, em todos os instantes da jornada redentora, guardando-se pobre de preguiça e egoísmo, de astúcia e maldade, será realmente o detentor das bem-aventuranças Divinas, na Terra e no Reino Celestial, desde agora.


.Emmanuel



(Anuário Espírita 1994)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir