Citação parcial para estudo, de acordo com a Lei nº 9610, de fevereiro de 1998, artigo 46, item III.

Bíblia do Caminho — Testamento Xavieriano

<< (Website) (Website>>

Semeador em tempos novos — Emmanuel ©

 

15

 

Mensagem

NO III CONGRESSO ESPÍRITA MINEIRO

1 Espíritas!

Reunidos no Terceiro Congresso Espírita Mineiro, recordamos nosso deveres básicos.

2 Num século apenas de atividade doutrinária, temos a mensagem do Espiritismo impregnando a cultura de todos os continentes.

3 Venerada no santuário religioso, é o renascimento da fé;

4 erguida à ideia dos condutores, é força do progresso;

5 acalentada no lar, é ajustamento da família;

6 conhecida nos tribunais, é inspiração da justiça;

7 incorporada ao magistério, é responsabilidade no ensino;

8 assimilada nas artes, é clarão de beleza imperecível, varrendo a névoa do túmulo;

9 analisada no laboratório, é demonstração positiva de imortalidade da alma;

10 e, conduzida ao seio da comunidade popular a que se destina, é a lógica da evolução e incentivo à fraternidade, instrução e consolo, esclarecimento e esperança.

 

11 Em vinte lustros de serviço, surpreendemo-la, palpitante, em todos os grandes empreendimentos do mundo, exalçando a dignidade humana e desentranhando das trevas da ignorância e do dogmatismo a divina liberdade do pensamento.

12 Entretanto, no transcurso dos últimos cem anos, vimos, igualmente, o monstro da guerra tripudiar, várias vezes, sobre o sangue das nações,

13 o ódio de raça entronizado pelas inquisições sociais e políticas,

14 os campos de concentração onde o crime e a violência assumiram o aspecto de legalidade perante as legislações mais cultas,

15 a ponta das baionetas alterando a feição geográfica do Globo,

16 a perversão da inteligência nos requintados engenhos da destruição e da morte,

17 o desvario das paixões extremistas,

18 o recrudescimento das indústrias do aborto,

19 o ateísmo dominante, buscando fazer do homem simples unidade econômica,

20 e, mesmo entre nós, o grave tentame de reduzir-nos a Doutrina de Luz a mero divertimento intelectual ou a deplorável sistema de exploração da energia mediúnica com a escravização das entidades de nosso convívio doméstico.

 

21 Observemos, assim, que todas as nossas conquistas do espírito, no presente, são frágeis revestimentos de superfície, quando confrontadas com o lastro espesso de sombra que trazemos de nossas próprias experiências, no passado multimilenar, e vigiemos, com desassombro e lealdade, a sementeira da Nova Luz.

22 Eis porque, transposto o limiar do segundo século de trabalho que nos compete, reverenciamos, convosco, o alvo estandarte da caridade sublime, a cátedra filosófica e o gabinete da indagação científica, mas lembrando, de modo especial, o impositivo do estudo crescente e metódico dos princípios de Allan Kardec, o apóstolo inesquecível da obra basilar, que constitui a chave para a compreensão dos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus-Cristo, de cuja misericórdia verte o Espiritismo sobre a atualidade dos homens, com a excelsa missão de reerguer moralmente os povos atormentados da Terra.

23 Preservemos o alicerce, garantindo o equilíbrio e a segurança no desdobramento do edifício.

24 Sobretudo, saibamos viver em nós a lição que pregamos para que a nossa plataforma renovadora seja efetivamente o Evangelho do Senhor em constante ressurreição.

25 Arquitetos de nossos próprios destinos e senhores da nossa própria plantação no terreno das causas, sereis amanhã o que hoje somos — Espíritos desencarnados com aflitivos problemas a examinar — tanto quanto, de futuro, seremos o que hoje sois — Espíritos encarnados com difíceis problemas a resolver.

26 Nas primeiras horas de nosso ministério de redenção, exortou-nos o Espírito da Verdade:

— “Amai-vos! — eis o primeiro ensino.” — “Instruí-vos! — eis o segundo.” (Ev)

27 E agora ousaríamos acrescentar:

— Unamo-nos todos na educação e na regeneração de nós mesmos com a obra do bem infatigável, a favor dos semelhantes, a fim de que, no alvorecer de cada dia, possamos abraçar o fiel cumprimento de nossas obrigações, exclamando em perenidade de alegria no entendimento da Vida Eterna: — Ave, Cristo! os que vão te servir te glorificam e te saúdam.

 

.Emmanuel