Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Sentinelas da alma — Meimei


27


Ora e prossegue

  1 Penso entender-te, coração amigo:

  Quando o dia flameja

  E a terra Benfazeja

  Parece um colo maternal,

  Trazes contigo a dor inexplicável

  De quem carrega em si, na alma indisposta,

  A inquietação do pássaro que arrosta

  Os flagelos de longo temporal…


  2 Atravessaste estradas espinhosas,

  Duras tribulações de caráter violento,

  Trechos de desencanto e sofrimento,

  Veredas de amargor…

  Não te entregues, no entanto, a lamentos inúteis,

  A queixa acende fogo em palavras vazias,

  Mergulhando-te os dias

  Em desespero arrasador.


  3 Ante o barulho das questões humanas,

  Mesmo nas que te firam a pessoa,

  Afasta-te do mal, serve e perdoa,

  Não te prendas às teias do pesar…

  Recorda: toda nuvem surge e passa,

  Sob o tempo, em carreira desmedida,

  Como a dizer que a vida

  Pede mais esquecer do que lembrar.


  4 E hajam crises ou não pelo caminho,

  Ergue um templo à oração no próprio peito,

  Resguardando na fé o campo eleito

  Dos teus sonhos e anseios tais quais são;

  E reterás contigo o lúcido recanto

  Da verdade que ampara, eleva e ensina,

  Encontrando, na paz da Luz Divina,

  A voz dos Céus no próprio coração.


.Maria Dolores



Essa é a única mensagem do livro “Sentinelas da alma” que não pertence a Meimei.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir