Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Religião dos Espíritos — Emmanuel


68


Materialismo

Reunião pública de 28 de Setembro de 1959

Questão n.° 148 de “O Livro dos Espíritos”


1 Para dissipar a sombra do materialismo a espessar-se no espírito humano, é forçoso evitemos a atitude daquelas autoridades da antiga Bizâncio, que discutiam bagatelas, enquanto os inimigos lhes cercavam as portas.

2 Reconhecendo a impossibilidade de vincular essa anomalia às raízes da ignorância, de vez que o epicurista é, invariavelmente, alguém que se prevalece da cultura intelectual para extrair da existência o máximo de prazer com esquecimento da responsabilidade, interpretemos o materialismo como sendo enfermidade obscura, espécie de neoplasma da mente, a degenerar-lhe os mecanismos. 3 Da tumoração invisível surge a violência e a crueldade, a desumanidade e o orgulho por metástases perigosas, suscetíveis de criar as piores deformidades no mundo íntimo.

4 E tanto quanto a ciência médica ainda encontra dificuldades para definir a etiologia do câncer, surpreendemos, de nossa parte, os maiores entraves para explicar a causa de semelhante calamidade, porquanto, sendo a ideia de Deus imanente em todas as leis do Universo, não é compreensível se isole, voluntariamente, a razão da sua origem divina.

5 Convençamo-nos, porém, de que todo desequilíbrio do espírito pede, por remédio justo, a educação do espírito.

6 Veiculemos, assim, o livro nobre.

7 Estendamos a mensagem edificante.

8 Acendamos a luz dos nossos princípios nas colunas da imprensa.

9 Utilizemos a onda radiofônica, auxiliando o povo a pensar em termos de vida eterna.

10 Relatemos as nossas experiências pessoais, no caminho da fé, com o desassombro de quem se coloca acima dos preconceitos.

11 Amparemos a infância e a juventude para que não desfaleçam à míngua de assistência espiritual.

12 Instruamos a mediunidade.

13 Aperfeiçoemos nossos próprios conhecimentos, através da leitura construtiva e meditada.

14 Instituamos cursos de estudo do Evangelho de Jesus e da obra de Allan Kardec, em nossas organizações, preparando o futuro.

15 Ofereçamos pão ao estômago faminto e alfabeto ao raciocínio embotado.

16 Plantemos no culto da caridade o culto da escola.

17 E, sobretudo, considerando o materialismo como chaga oculta, não nos afastemos da terapia do exemplo, porque, em todos os climas da Humanidade, se a palavra esclarece, o exemplo arrasta sempre.


Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir