Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Religião dos Espíritos — Emmanuel


46


Trabalha servindo

Reunião pública de 26 de Junho de 1959

Questão n.° 676 de “O Livro dos Espíritos”


1 A cada momento, o Criador concede a todas as criaturas a bênção do trabalho, como serviço edificante, para que aprendam a criar o bem que lhes cria luminoso caminho para a glória na Criação.

2 Não permitas, portanto, que o repouso excessivo te anule a divina oportunidade.

3 Assim como o relaxamento é ferrugem na enxada, a benefício do joio que te prejudica a seara, o tempo vazio é flagelo na alma, em favor das energias perniciosas que devastam a vida.

4 Não há corrosivo da ociosidade que possa resistir aos antídotos da ação.

5 Não acredites, desse modo, no poder absoluto das circunstâncias adversas, a se mostrarem, constantes, nos eventos da marcha.

6 Se a injúria te persegue, trabalha servindo, e o sarcasmo far-se-á reconhecimento.

7 Se a calúnia te apedreja, trabalha servindo, e a ofensa converter-se-á em louvor.

8 Se a mágoa te alanceia, trabalha servindo, e a dor erguer-se-á por utilidade.

9 Se o obstáculo te aborrece, trabalha servindo, e o embaraço surgirá por lição.

10 No trabalho em que possas fazer o melhor para os outros, encontrarás a quitação do passado, as realizações do presente e os créditos do futuro. E é ainda por ele que conquistarás o respeito dos que te cercam, a riqueza da experiência, a láurea da cultura, o tesouro da simpatia, a solução para o tédio e o socorro a toda dificuldade.

11 Importa anotar, porém, que há trabalho nas faixas superiores e inferiores do mundo.

12 Movimento que aprisiona e atividade que liberta, atração para o abismo e impulso para o Céu…

13 O egoísmo trabalha para si mesmo.

14 A vaidade trabalha para a ilusão.

15 A usura trabalha para o azinhavre.

16 O vício trabalha para o lodo.

17 A indisciplina trabalha para a desordem.

18 O pessimismo trabalha para o desânimo.

19 A rebeldia trabalha para a violência.

20 A cólera trabalha para a loucura.

21 A crueldade trabalha para a queda.

22 O crime trabalha para a morte.

23 Todas essas monstruosidades do campo moral representam fruto amargo e venenoso de audiências da alma com a inteligência das trevas, no palácio deserto das horas perdidas.

24 Todavia, o trabalho dos que trabalham servindo chama-se humildade e benevolência, esperança e otimismo, perdão e desinteresse, bondade e tolerância, caridade e amor, e, somente através dele, o Espírito caminha, na senda de ascensão, em harmonia com as leis de Deus.


.Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir