Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Queda e ascensão da casa dos benefícios — Bezerra de Menezes — 2ª Parte


23


Diretrizes aos obreiros do Grupo Espírita Regeneração

De mensagem recebida em 20.03.1949


1 Não temos outras palavras a endereçar-te senão as que traduzem apelo ao teu coração de trabalhador leal e devotado do Evangelho, pela manutenção da obra salvacionista em que se empenha o nosso Grupo Regeneração, desde muitos anos.


De mensagem recebida em 10.09.1949


2 Nosso Grupo é um lar espiritual em cujo teto de fraternidade cristã se acolhem vários companheiros que a experiência humana situou nos resvaladouros do débito de amor e luz para com a Humanidade.


De mensagem recebida em 10.09.1949


3 Nosso conjunto de serviço no “Regeneração” centraliza sublimes esperanças de muitos anos.

4 Dize aos companheiros da nossa expectativa em torno da nossa atividade comum, na concretização de nossos planos doutrinários.

5 Funcionamos à maneira de um conjunto musical, em que cada irmão é instrumento vivo da Divina Vontade.

6 O “Regeneração” é uma fonte que procede das “águas vivas” de nosso Jesus Amado, e para garantir-lhe o curso entre os sofredores é imprescindível nos congreguemos, fraternalmente, uns com os outros, a fim de que sua cristalina corrente não se turve.


De mensagem recebida em 20.05.1950


7 Nosso grupo ainda e sempre é o nosso posto avançado na regeneração espiritual. E quem diz regeneração expressa trabalho, esforço, sacrifício e ação constante na sementeira do bem.


De mensagem recebida em 20.05.1950


8 Jesus nos ensine a afinar sempre os instrumentos da nossa boa vontade pelo diapasão de seus desígnios, a fim de que o nosso santuário continue tão forte e sublime na caridade vigilante, ontem e amanhã, com mais amplitude que hoje.


De mensagem recebida em 05.02.1951


9 Auxiliemo-nos, pois, uns aos outros e marchando ao encontro da consolidação da nova “casa de benefícios”, através da sede própria, que nos centraliza as esperanças, roguemos a Jesus nos ampare e abençoe.


10 Estabeleçamos os alicerces e as paredes se levantarão sublimes de carinho e acolhimento.


11 Estamos satisfeitos pela conservação das linhas fundamentais do nosso “Regeneração”, que o seu esforço vem sustentando com devoção e humildade.

12 Aquela casa; cujo teto ainda se encontra em nossos sentimentos, foi estabelecida para restaurar, abençoar, consolar e edificar, através da regeneração de nós mesmos, a benefício de quantos nos batem à porta.


13 Os compromissos, porém, amadurecem e cremos chegada a oportunidade de lançamento dos alicerces de nossa organização, no Plano material.


14 Antes de sua reencarnação presente, estivemos juntos e assinei com o seu ideal regenerativo as obrigações que hoje se nos mostram claras e inadiáveis aos olhos. Faz agora precisamente sessenta anos que o nosso grupo se levantou para o auxílio aos culpados, aos tristes, aos obsediados e desiludidos da viagem terrestre. Sessenta anos de trabalho e coragem, testemunho e fé.

15 E necessário reestruturar a Casa dos Benefícios que menosprezamos.

16 A palavra do presente é um eco do passado. As vozes de ontem são as de hoje. Antigamente, não hesitávamos diante da presa fácil e, ouvindo as sugestões inferiores da própria alma, cultivávamos a ferocidade a título de valor, a astúcia por inteligência e o egoísmo por afetiva dedicação.


De mensagem recebida em 06.02.1951


17 Conforme sabemos, a nossa casa não dispõe da publicidade humana. Somos servidores pequeninos e humildes de que se servem os nossos Maiores para a aplicação do Bem Supremo nos caminhos do espírito, mas, em verdade, é a fonte singela que sustenta o rio largo; e sem os grãos de trigo que se multiplicam, não alcançaríamos o pão.

18 O nosso templo de socorro fraternal, graças a Jesus, continua aberto e precisamos, como sempre, da contribuição geral para que a caridade efetivamente se concretize em torno de nossa marcha.


De mensagem recebida em 04.03.1951


19 Prosseguindo em nossa tarefa de amor no santuário do “Regeneração”, desejo que o seu coração amigo seja portador dos nossos votos reiterados de paz e bom ânimo aos companheiros de lide espiritual, esperando continuem a postos no serviço da fraternidade que nos compete.


20 Graças ao Senhor a nossa casa, que funciona há mais de meio século, permanece fiel aos compromissos assumidos e, agora, como nos melhores tempos de nosso esforço, as atividades seguem ritmo valoroso, de vez que correspondem plenamente ao nosso programa de assistência evangélica aos Espíritos transviados.


De mensagem recebida em 04.03.1951


21 Não podemos ignorar que o nosso templo abriu as suas portas em primeiro lugar aos obsessores infelizes, algemados a paixões inconfessáveis, como peças vivas de dolorosos dramas na Terra e nas esferas próximas. A primeira hora de nossa plantação de amor se constituiu de socorro ao clero desencarnado, ainda nas trevas. E com o favor do Mestre Inesquecível, o nosso ministério dilatou-se e cresceu verticalmente na direção da vida superior.


De mensagem recebida em 13.11.1951


22 O serviço do estatuto definitivo é inadiável e urgente, rogando-te, porém, usar, em semelhante documentação, que nos regerá os destinos, o melhor espírito de síntese. Tudo deve ser simples, leve, eficiente.


23 A nossa tenda precisa aclimatar-se em espaço mais definitivo, assim como as aves que necessitam de árvore apropriada aos ninhos que lhes dizem respeito.


De mensagem recebida em 11.07.1952


24 Que o nosso “Regeneração” nos regenere em definitivo para o glória do Evangelho; e que as nossas mãos permaneçam firmes no arado do serviço e da fé, são os votos sinceros do velho amigo e servidor muito reconhecido.


25 Esclarecer um espírito sofredor é redimir a consciência que chora e edificar muita gente, nos dois planos, a partir de nós mesmos. Este é o motivo pelo qual aguardamos dos companheiros a mesma obediência às nossas antigas normas de ação, no que concerne às nossas práticas do Grupo.


De mensagem recebida em 5.02.1951


26 A hora é chegada. Sob o ponto de vista da estatística terrestre, somos poucos, entretanto, não devemos esquecer que Jesus e doze companheiros empreenderam a sós a reforma de milhões de almas num apostolado de âmbito mundial que ainda está longe de terminar.


27 Os necessitados e os tristes, os doentes e os atribulados nos solicitam. São aqueles filhos do Calvário que nos batem à porta em nome do nosso Credor Divino. Não ignoramos que é preciso distender o espaço material para recebê-los, contudo, antes disso, é imperioso distendamos o coração para o Cristo, Nosso Senhor e Mestre, na feição de conjunto, afinando os nossos recursos e possibilidades pelo padrão de Jesus, para que a Dádiva Esperada surja em nosso socorro, sustentando-nos a bandeira de amor.


De mensagem recebida em 10.12.1966


28 Busquemos conservar o nosso pouso de refazimento espiritual com a mesma harmonia e segurança. Para ele se volta a esperança de muitos e é necessário que o ninho se alargue em dimensões materiais para agasalhar as aves perdidas sob a tempestade do sofrimento.


29 Acordemo-nos todos e façamos o máximo por uma casa que se desdobrará em posto de luz doutrinária, escola, ambulatório, cantina e lar transitório de todos os viajantes da Terra que nos procurem em posição de necessidade.


30 Não precisamos de obra suntuária. Nada que destoe da simplicidade e da segurança requisitáveis em qualquer genuíno serviço espírita-cristão.


31 Reunamos a nossa família espiritual e cogitemos de nossa organização doméstica. Uma equipe de serviço espírita-evangélica é uma família, e toda família precisa de lar, a fim de afirmar-se e ser útil.


32 Amanhã, no futuro, vocês estarão aqui, desencarnados, no Mundo Espiritual, talvez reclamando veículo de expressão na Terra e nós outros, desencarnados de hoje, estaremos, no futuro, aí na Terra, talvez suspirando por um loca! que nos possibilite a realização de tarefas maiores.

33 Ninguém possui o bem que não constrói, como lavrador algum conseguirá colher, sem valer-se de seara alheia, aquilo que não semeou.


De mensagem recebida em 11.07.1952


34 Na verdade, o nosso “Regeneração” se organiza, à maneira de um barco bem equipado prestes a lançar sólidas Ancoras no porto do campo humano… Entretanto, no círculo das considerações que nos compete movimentar, uma delas sobrepaira, acima de todas, pela sua importância essencial — o imperativo de nossa comunhão na fraternidade pura, a fim de que os nossos deveres se ergam iluminados e bem cumpridos.


35 Contamos com o abençoado concurso dos nossos companheiros dirigentes, para que nossa colaboração no plantio da caridade não sofra prejudiciais alterações. Entendemos que os responsáveis pela nossa venerável instituição se preparem a maiores testemunhos à frente da sociedade comum, no entanto, aguardamos as mesmas demonstrações edificantes no nosso lar espiritual, no carinho pela obra do bem, entre as paredes da casa espiritual que nos reúne, não só com o sagrado objetivo de nossa regeneração; mas também com a finalidade de RECONSTRUIRMOS O TEMPLO DOS BENEFÍCIOS, cuja restauração faz parte dos nossos compromissos no presente século.


De mensagem recebida em 18.08.1953


36 Nosso esforço na ampliação dos valores mediúnicos, através do desenvolvimento, deve ser atacado em maior extensão.


37 Nossa instituição não se destina tão somente à garantia de nossa boa viagem sobre a Terra, mas também ao socorro dos náufragos, nossos irmãos perturbados que a ilusão, desapiedada, lançou aos abismos fundos da morte.


De mensagem recebida em 18.08.1953


38 A Casa dos Benefícios deve crescer na caridade para com os sofredores e na consolação para com os infelizes e, para isso, um corpo mais eficiente de colaboradores precisa ser edificado, de modo a estendermos, sempre, o nosso raio de ação.


39 Ontem, era a tempestade a sacudir-nos a embarcação; hoje, é o cardume de monstros da treva, a se destacarem das ondas, ameaçando-nos a estabilidade e subtraindo-nos a segurança.


40 A mensagem do Mais Alto derrama-se para o nosso conjunto. A palavra do Mestre concitando-nos ao desempenho de nossas obrigações para com o amor, flui para os nossos ouvidos.


41 Conduze, meu amigo, o nosso pensamento de fraternidade e carinho a todos os devotados obreiros de nossa casa de trabalho e esperança.


42 Rogamos aos nossos companheiros de romagem bastante aplicação ao dever que o Mestre nos assinalou.


43 Compreendo as aflições do leme no barco de nosso “Regeneração”, em alto mar de experiências e provas.

44 Enquanto nos detínhamos ancorados no porto da Casa de Ismael, o trabalho era suave e benigno ao coração. Agora, porém, meu amigo, que nossas velas se fizeram ao vento, atendendo aos compromissos assumidos por nós mesmos, reconheço que a tarefa é ingrata e adversa, constrangendo-nos a graves meditações.


De mensagem recebida em 10.09.1953


45 Espero que a sua coragem continue cada vez mais viva e que a sua confiança se projete para o Alto, em busca da proteção de nosso Pai Celestial.


De mensagem recebida em 24.04.1957


46 Creiam que o velho amigo lhes partilha as apreensões e as esperanças Como sempre. É natural que assim seja. O tempo que nos enlaça com o cinturão dos séculos nos guarda as almas em comunhão perene e inalterável. E, com o tempo, misturam-se-nos as alegrias e identificam-se-nos as lágrimas.


47 Sem dúvida, filhos meus, nossos compromissos diante do “Regeneração”, destinado a reconstituir-se na Casa dos Benefícios; são muito grandes.


48 Não duvidemos. Preparemo-nos devidamente e o amparo do Céu surgirá.

49 Todos estamos colaborando. O Regeneração é nossa oficina de luz e, dentro dela, os companheiros desencarnados prosseguem ativos.


50 De nossa parte, de nosso coração igualmente empenhado nas dívidas para com o Senhor, confiamos em todos os irmãos queridos que nos integram a equipe de ação.


51 Pedimos ao seu coração amigo estudar com os nossos companheiros alguma previdência, através da qual possamos ampliar o quadro de cooperadores da nossa instituição, facultando-nos, assim, o exame inicial da renovação desejada.

52 Referimo-nos à solução do problema da sede própria, no qual contamos também com o expressivo concurso de amigos devotados que o Senhor inspirará em nosso favor, possibilitando ao nosso Grupo o integral cumprimento de sua elevada tarefa.


De mensagem recebida em 24.04.1957


53 Sabemos que consolidar o nosso grupo, no terreno movediço do mundo, é árdua tarefa que nos reclama atenção e carinho, paciência e sacrifício.

54 Sabíamos, aliás, que, transferi-lo da Árvore de Ismael para a grande floresta humana, exigir-nos-ia aflição e dor. Entretanto, é imprescindível caminhar para a frente e servir sem esmorecer.

55 Nosso problema de sede própria é indiscutivelmente essencial.


De mensagem recebida em 20.06.1964


56 O “Regeneração” é nossa escola e nosso lar espiritual, nosso trabalho e nossa esperança, nosso compromisso e nossa benção.


57 Nossa instituição, graças a Jesus, prossegue ativa; nossa organização avança para os objetivos a que fomos engajados pela Divina Misericórdia.


De mensagem recebida em 10.12.1966


58 Façamos para nós mesmos esta legenda: “devo dar o meu esforço máximo por nosso lar” e busquemos cumpri-la.


59 Temos entrado em entendimento com José Ramos, Alcides, Sampaio, Joaquim, Abílio e tantos outros companheiros, agora domiciliados conosco na Esfera espiritual, e chegamos à conclusão de que a nova sede será, em si mesma, a própria Casa dos Benefícios em recuperação perfeita, de vez que oferecerá oportunidade a que os necessitados de todas as procedências sejam atendidos. 60 Chamem-se doentes ou ignorantes, jovens ou crianças, felizes ou menos felizes, porquanto disporemos de espaço bastante para o socorro a todos, do amparo aos recém-natos àqueles outros no extremo limite da experiência humana, carecedores de assistência e carinho, quando em penúria se avizinham da desencarnação.


61 No passado, a nossa Casa de Benefícios era um pouso bendito de socorro aos necessitados da vida física, hoje, com a ciência avançada de nossos dias, será possível fazer o bem muitas vezes mais, com o simples espaço, indispensável ao exercício da ação.


62 Uma sede, sim. Uma casa em que possamos trabalhar e servir. Não nos faltam companheiros abnegados de todas as profissões. Temos obreiros de várias especializações à espera de lugar para desenvolverem o máximo esforço na concretização de nossas atribuições de serviço e, por isso mesmo, temos encorajado em seus corações a ideia da campanha pela materialização de nossa oficina.


63 Pode-se perfeitamente aliar a amenidade ao conforto sem luxo, e o proveito à solidez sem desperdício. Apelamos a todos os amigos de nosso querido Grupo, a fim de que o projeto ganhe forma e atenção. Começamos por vocês, queridos amigos presentes, e de vocês estendemos a súplica aos que se acham ausentes.


De mensagem recebida em 24.01.1974


64 Sabemos que a nossa Casa, ao modo de embarcação em mar difícil, vai caminhando para a frente. Dias mais calmos, dias menos tranquilos. Noites serenas e noites agitadas por vento forte.


De mensagem recebida em 24.01.1974


65 Continuemos fiéis às nossas atividades. Nossa equipe de cura espiritual está funcionando com resultados positivos.


De mensagem recebida em 14.11.1975


66 Achamo-nos em família para considerar as nossas alegrias e lutas, esperanças e realizações. E sentimo-nos felizes em vos verificando a disposição constante de seguirdes à frente.


De mensagem recebida em 23.05.1977


67 Nosso instituto de amor e bênção vem progredindo consideravelmente, no campo externo da existência, mas necessitamos da edificação por dentro, a elevar-se com os tijolos da humildade e da prática do bem. Dando, recebemos. Ajudando, somos ajudados. Elevando-nos, elevamos os que nos cercam.


68 Nossa alegria é tamanha que nos sentimos de volta ao passado, quando, reunidos na Casa dos Benefícios, orávamos todos juntos, agradecendo as bênçãos do Senhor.


69 Sabemos quanto e como tendes trabalhado para o refazimento de nossa instituição e esperamos que a perseverança esteja convosco, animando-vos a adquirir todas as forças necessárias para a realização em perspectiva.


70 Nosso Grupo tem alcançado expressivo progresso pelas realizações novas que o caracterizam. Ainda assim, precisamos voltar a atenção e trabalho para o erguimento da creche e respectivo funcionamento. A casa antiga dos benefícios do Senhor vai sendo restaurada, pouco a pouco, e nesse esforço constante e gradativo atingiremos os objetivos de nosso grande ideal.


De mensagem recebida em 23.05.1977


71 Muitas crianças já estão aguardando de nós, a abertura da creche, na qual reencontrarão o lar que precisam para se consolidarem nos ideais de luz e evolução. Não convém atrasar mais tempo. Em nosso Grupo, temos esperado por esse momento oportuno e prelibamos o júbilo de ver a nossa Casa abrigando e alimentando o número possível das crianças desprotegidas, enviadas especialmente aos nossos cuidados para que a vida lhes descerre um novo horizonte de felicidade.


De mensagem recebida em 03.02.1979


72 Quanto pudermos, com o amparo dos Mensageiros do Bem, havemos de fazer para que o departamento da criança se levante com firmeza para os fins a que se destina.


73 A edificação de nossa creche continua mobilizando as nossas esperanças, com a certeza de que, ali, em nossa instituição de fraternidade, legiões de pequeninos, no decurso do tempo conseguirão meios mais seguros para se consolidarem na reencarnação, a caminho do futuro.


74 Um grupo, qual o nosso, é também comparável a um hospital do espírito muitas vezes corrigindo ou saneando empeços orgânicos no próprio nascedouro. Felizmente jornadeamos com a serenidade e com a eficiência precisa.


75 Continuemos, quanto se nos faça possível, no desempenho de nossas atribuições no “Regeneração”, que ante a benção do Senhor, segue atualmente em viagem mais tranquila na execução das tarefas a que nos propusemos.


De mensagem recebida em 03.02.1979


76 Nossas reuniões no currículo normal das tarefas de nossa casa prosseguem com regularidade e bendito rendimento nos valores espirituais que buscamos. Continuemos em paz na plantação do bem, conservando a convicção de que “auxiliar em favor de alguém será sempre auxiliar a nós mesmos”.


De mensagem recebida em 30.12.1979


77 Entendemos a complexidade de tarefas de quem dirige um agrupamento espírita evangélico face às mutações a que o homem se submete nas caprichosas inovações criadas por ele mesmo. Não tema. Continuemos atentos à viagem das águas procelosas de nossos tempos na Terra.

78 Prossigamos — nesta palavra desejamos substancializar tudo o que desejaríamos dizer. Que o Senhor mantenha as forças ao nível de seus encargos e que o seu coração se adiante no trabalho de sempre, sem intervenções desnecessárias para assinalar espinhos e pedras que pertencem a toda jornada do bem no campo dos homens, é o desejo do servidor reconhecido.


De mensagem recebida em 17.07.1980


79 Não vos trago apenas a palavra do amigo que se reconforta ao contato de vosso trabalho promissor, mas também o coração do servidor reconhecido.


80 E como acontece agora em nosso Regeneração, possa haver, partindo de cada um de nós, o testemunho do trabalho e da paciência, da serenidade construtiva e do entendimento renovador.


De mensagem recebida em 17.07.1980


81 Os pequeninos que se nos aproximarão dos cuidados são todos eles companheiros da Vida Espiritual que, com o amparo do Senhor, doravante conseguiremos encaminhar à nossa casa para receberem o toque de nossa confiança no futuro melhor.


82 A organização de nossas reuniões se equilibra de modo ideal e a creche iniciante é fruto de muitas preces que, lançadas no solo de nossas esperanças, à maneira de semente acalentada, muitas vezes com suor e lágrimas, acaba por se concretizar nas bênçãos que se procura.


83 Continuemos. Nesta palavra simples remanesce todo o conteúdo de nossas experiências vividas em comum.


84 Agradecemos, queridos amigos, quanto realizais em benefício dos convidados de Jesus que nos batem às portas. Os tristes e desalentados, os corações feridos pelo estilete de duras provações e as almas fadigadas de desespero, encontram em nossa casa um refúgio certo, em que se refazem.


85 Sigamos, conscientes dos deveres que nos marcam a estrada e peçamos a Jesus as forças necessárias para que a nossa Instituição, presentemente consolidada, possa marchar sem empecilhos ao encontro de suas finalidades essenciais.


De mensagem recebida em 18.12.1980


86 A iluminação evangélica e a obra assistencial, sempre crescentes em nossa casa, muito alto nos falam aos corações.


De mensagem recebida em 18.12.1980


87 Valemo-nos da prece, a fim de transmitir-lhes a nossa confiança e a nossa alegria, diante das realizações a que o nosso “Regeneração” atualmente se entrega, complementando com a creche o esquema de trabalho para a restauração da nossa Casa dos Benefícios.


88 A nossa creche nos oferece a impressão de um jardim, no qual muitas flores humanas desabrocham para Deus e nos sentimos felizes pela oportunidade de ali recebermos diversos irmãos de outras eras, embora de passagem, mas em permanência rápida, que representa um toque de amor inesquecível para cada um.


89 Um dia, a nossa equipe sofreu a perda de nossa Casa Assistencial num tempo caracterizado por extrema violência e, hoje, quando a Terra experimenta verdadeiras convulsões para a renovação das ideias dominantes, eis que recuperamos, com a bênção de Jesus, o nosso recanta — oficina de oração e atividades para realizarmos o melhor ao nosso alcance.


De mensagem recebida em 1981


90 A Casa dos Benefícios se reergue em pleno século de agitações e renovações qual o de agora, em que somos compelidos a atravessar tantas barreiras de sombras, na preservação da luz que o Cristo nos deu às mãos para a garantia do Reino de Amor e Paz, que nos construirá o Mundo Melhor.


91 Em alguns meses vão sendo efetuados projetos que esperaram muito tempo, a fim de virem à luz, com a materialização de nossos melhores desejos. E, por isso mesmo, uma fase de consolidação do que se levantou em tempo assim estreito é necessária, para que não venhamos a esposar empreendimentos superiores às nossas forças.


De mensagem recebida em 1981


92 Em nosso “Regeneração” tudo prossegue da melhor forma. Estamos atentos à construção em andamento, com as nossas ideias voltadas para os nossos velhinhos.


93 Fizeram bem dando-lhes início agora, sem contar com facilidades especiais.


94 Todos estamos unidos, à frente dos mesmos objetivos e confiamos em nosso Eterno Benfeitor Jesus-Cristo, conscientes de que Ele igualmente confia em nós.


95 A nossa creche é uma lavoura de bênçãos que floresceu com vigor para o futuro e tudo nos cabe fazer para que lhe sejam assegurados os alicerces no espaço e no tempo.


96 Continuemos trabalhando, na certeza de que o apoio do Senhor não nos faltará.

97 Com relação às tarefas em andamento no Grupo, nada temos que apontar, senão a nossa própria alegria nos deveres cumpridos, exceção feita à equipe de cura espiritual que, a nosso ver, deve ser mantida em nossa casa por mais tempo.


98 Acompanhamos as realizações de nossa casa com o carinho habitual e aqui nos achamos, com os nossos votos para que os nossos planos de trabalho obtenham a cobertura de Mais Alto, na respectiva concretização.


De mensagem recebida em 23.12.1981


99 Pedimos ao Senhor para que o vosso ânimo prossiga resoluto para diante, desfraldando a bandeira de nossos princípios, através de nossas próprias mãos.


De mensagem recebida em 23.12.1981


100 Pedimos continuarem todos servindo à nossa casa e à nossa causa, prosseguindo em harmonia com os demais companheiros da Diretoria de nossa instituição, para que o nosso plano de ação não sofra qualquer solução de continuidade.


101 Estamos auscultando o coração de todos os companheiros.


102 A hora pede presença e serviço e o nosso “Regeneração” está respondendo positivamente a semelhante requisição.


De mensagem recebida em 1981


103 O Senhor nos abençoe a todos; que, nas áreas do nosso “Regeneração”, entrelacemos corações e braços nas tarefas que os Mensageiros do Senhor nos confiaram.


De mensagem recebida em 23.12.1981


104 Esclarecendo-vos, sem qualquer omissão, todos estais em nosso coração e em nossas esperanças de mais trabalho, em nossa querida instituição.


105 Quanto pudermos, mantenhamos a união em torno dos amigos que tanto exemplificaram paciência e coragem em nossa própria equipe de ideal e de serviço.


106 Reconforta-nos o reencontro espiritual, através da palavra escrita, a fim de que vos manifestemos o nosso reconhecimento por todas as bênçãos que tendes ofertado a nós outros, no transcurso de nossas tarefas regulares em nosso “Regeneração” no qual buscamos socorrer a tantos companheiros e somos igualmente socorridos e orientados para a execução de nossos deveres.


De mensagem recebida em 23.12.1981


107 Não desanimeis se por vez vos observais sitiados por dificuldades e provas, como que a vos impedirem a jornada; entretanto, continuai. Marchamos no tempo, há quase um século e somente agora se nos faz possível a realização da obra assistencial que nos complementará as obras de fé.


108 No resgate do passado distante, esperávamos que as circunstâncias se conjugassem para o desempenho de nossas atribuições, na recuperação da nossa Casa dos benefícios, cujos alicerces se erguem de nossa creche na direção do futuro.


De mensagem recebida em 04.03.1982


109 Felizmente a nossa casa atende a esquemas seguros de serviço que nenhuma circunstância, por enquanto, nos impele a alterar.


110 Cada instituição se caracteriza por finalidades determinadas.

111 E as nossas atividades se articulam todas elas objetivando a evangelização e a beneficência, ideias essenciais de todo o corpo de serviço de nossa casa de paz e amor.


112 Conquanto respeitemos os fenômenos mediúnicos, venham de onde vierem, a nossa rota está marcada pelos itens fundamentais dos estatutos que nos regem. Dizendo isso, não desejamos subestimar o trabalho de ninguém, e sim, realçar as tarefas específicas que nos cabem.


113 A mocidade espírita Antônio Sampaio Júnior deve estar atenta para as nossas responsabilidades doutrinárias ante os alicerces Kardequianos, a fim de que as atividades doutrinárias em nossa Instituição se mantenham com a pureza e com a simplicidade necessárias, sem a enxertia de cultos exóticos.


De mensagem recebida em 15.05.1985


114 A nossa Casa dos Benefícios está novamente de pé, nesta hora atormentada dá Terra, quase semelhante ao tempo em que se viu desmantelada e sem esperança.


115 Regozijamo-nos com as realizações que vimos complementando nos tempos últimos. O nosso Lar dos Velhinhos unido à nossa Creche nos fornece a impressão de que, em nosso bendito recanto de paz e trabalho, conseguimos reunir o crepúsculo e o alvorecer.


.Bezerra de Menezes


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir