Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Loja de alegria — Jair Presente


21


A lição do poço

  1 O sol descia de manso.

  Poente. Calor no ar,

  O aprendiz e o professor

  Estavam à beira-mar.


  2 Ante as sentenças ouvidas,

  O jovem, com atenção,

  Falou ao mentor amigo

  No término da lição:


  3 — O que me dói, professor,

  Ante a luz de tanto ensino,

  É ser um cara “manjado”

  Tão errado e pequenino.


  4 Oro. Medito. Prometo.

  Busco em Deus o meu abrigo,

  Mas sofrendo tentações,

  As quedas estão comigo…


  5 Sei o que devo seguir

  E faço o que não convém…

  Deus é tão grande e eu “fracóide”

  Serei obreiro do Bem?


  6 O professor disse: — “Filho,

  O problema é começar…

  Deus nos deu a cada um

  O poder de auxiliar.”


  7 Veio o silêncio. Fitavam

  Um homem lançando rede…

  Depois, o jovem clamou:

  — Professor, estou com sede!…


  8 O amigo sorriu, bondoso,

  E respondeu, de alto senso:

  — “Veja, filho!… Estamos sós,

  Diante do mar imenso!…


  9 Tanta água!… Tanta água!…

  Que o Céu cobre com carinho!…

  E agora necessitamos

  Do poço de algum vizinho…”


  10 Não longe, uma casa pobre

  Deu-lhes acesso ao quintal;

  O poço pequeno e limpo

  Apareceu, afinal.


  11 Terminara para os dois

  A inesperada procura;

  O moço fartou-se de água,

  Água simples, água pura…


  12 E disse o mentor contente,

  Ao desligar-se de um jarro:

  — “Cada qual pode ser poço,

  Mesmo que seja de barro.”


.Jair Presente


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir