Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Fonte viva — Emmanuel


135


Desculpa sempre

“Se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celestial vos perdoará.” — JESUS (Mateus, 6.14)


1 Por mais graves te pareçam as faltas do próximo, não te detenhas na reprovação. Condenar é cristalizar as trevas, opondo barreiras ao serviço da luz.

2 Procura nas vítimas da maldade algum bem com que possas soerguê-las, assim como a vida opera o milagre do reverdecimento nas árvores aparentemente mortas.

3 Antes de tudo, lembra quão difícil é julgar as decisões de criaturas em experiências que divergem da nossa!

4 Como refletir, apropriando-nos da consciência alheia, e como sentir a realidade, usando um coração que não nos pertence?

5 Se o mundo, hoje, grita alarmado, em derredor de teus passos, faze silêncio e espera…

6 A observação justa é impraticável quando a neblina nos cerca. Amanhã, quando o equilíbrio for restaurado, conseguirás suficiente clareza para que a sombra te não altere o entendimento.

7 Além disso, nos problemas de crítica, não te suponhas isento dela.

8 Através da nociva complacência para contigo mesmo, não percebes quantas vezes te mostras menos simpático aos semelhantes!

9 Se há quem nos ame as qualidades louváveis, há quem nos destaque as cicatrizes e os defeitos.

10 Se há quem ajude, exaltando-nos o porvir luminoso, há quem nos perturbe, constrangendo-nos à revisão do passado escuro.

11 Usa, pois, a bondade, e desculpa incessantemente. Ensina-nos a Boa Nova que o Amor cobre a multidão dos pecados. ( † )

12 Quem perdoa, esquecendo o mal e avivando o bem, recebe do Pai Celestial, na simpatia e na cooperação do próximo, o alvará da libertação de si mesmo, habilitando-se a sublimes renovações.


.Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir