Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Estude e viva — Emmanuel / André Luiz — F. C. Xavier / Waldo Vieira


31


Não retardes o bem

O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO — Cap. XV — Item 10

O LIVRO DOS ESPÍRITOS — Questão 912


1 A dádiva tem força de lei, em todos os domínios da Criação.

2 A flor dá naturalmente do seu perfume, e o animal, em sistema de compulsória, oferece cooperação ao homem, através do suor em que se consome. 3 A criatura generosa dá concurso fraterno, pelos recursos da caridade, sem esperar petição alguma, e o usurário desencarnado cede, constrangido pelos mecanismos da herança, todas as posses que acumulou.

4 Isso ocorre porque, no fundo, todos os bens da vida pertencem a Deus, que no-los empresta visando ao nosso próprio enriquecimento.

5 Desenvolve, quanto possível, a tua capacidade de auxiliar, porquanto, no tamanho de teu sentimento, podes ser o amparo material, ainda que ligeiro, no labor da beneficência; 6 a palavra que esclarece e consola no combate da luz contra o assalto das trevas; 7 a presença amiga que insufla a esperança 8 ou o braço acolhedor que sustenta o companheiro atormentado pela exaustão.

9 Recorda, porém, que existe o momento perfeito de auxiliar, seja ele conhecido como sendo a ocasião da necessidade, a sugestão do trabalho, o propósito de ajudar ou o impulso da intuição.

10 Aproveita o ensejo de ser útil, com a inteligência de quem sabe que é preciso plantar hoje para colher amanhã.

11 Para isso, no entanto, é imperioso te desfaças de todas as exigências. 12 Não temas farpas de censura, em torno de tua dádiva, e nem taxes a tua bondade com impostos de gratidão. 13 O amor não cobra pedágio seja a quem for que passe por ele recebendo serviço.

14 Ajuda com a alegria de quem se honra com a faculdade de acrescentar as alegrias de que Deus dotou o Universo; 15 sobretudo, não permitas que a oportunidade de auxiliar se deteriore em tuas mãos. A dádiva retardada tem gosto de recusa, tanto quanto a refeição inaproveitada fere o equilíbrio do paladar.

16 Auxilia quanto, como, onde e sempre que possas para o erguimento do bem comum. Não esperes que a desencarnação obrigue outros a distribuir aquilo que podes dar hoje, no amparo aos semelhantes, para a construção de tua própria felicidade, de vez que tudo aquilo que damos à vida, na pessoa do próximo, é justamente aquilo que a vida nos restitui.


.Emmanuel


(Psicografia de Francisco C. Xavier)


TEMAS ESTUDADOS NESTE E NO PRÓXIMO CAPÍTULO

Amor e espontaneidade — Auxílio e oportunidade — Doações e natureza — Medicação espiritual — Socorro atrasado — Solidariedade e disciplina


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir