Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico no Monte Carmelo — Autores diversos — 1ª Parte


4


Reflexões sobre versos

ANO NOVO! VIDA NOVA!

CONSOLO, ESPERANÇA, AMOR

NÃO MENOSPREZES O TEMPO

QUE É CONCESSÃO DO SENHOR.


Casimiro Cunha

(F. C. Xavier)    


Os versos que compõem a bela mensagem intitulada “QUADRAS DO ANO NOVO” do poeta Casimiro Cunha, suscitaram no companheiro Eurípedes Veloso de Matos, a seguinte apreciação:


Que tempo é esse,

Que vida nova é essa,

Que por menos se apresse

Evoluem, sem pressa?


E a cada ano o consolo,

A esperança e o amor,

Renovam-se pelo zelo

Que nos tem o Senhor.


O tempo menosprezado

É apenas brilho de luz.

O caminho é iluminado,

Mas em nada ele reduz.


É bênção do Senhor

Em sublime concessão.

Expressão divina de amor

No vagar da evolução.


Com a presença de Chico naquelas passagens de ano, a data se tornou histórica.

Os calendários divinos, por certo, têm uma cronologia que escapa ao nosso entendimento, mas podemos perceber que os enunciados de luz jorram em algumas ocasiões como vertentes que promulgam novas instituições.

O valoroso médium de Pedro Leopoldo já houvera manifestado singular respeito às paragens do Triângulo Mineiro e região do Brasil Central, e a sua presença na cidade simples de Monte Carmelo era como se estivesse abrindo uma das portas desse reino bendito que é a vida espírita.

A sua imagem serena e alegre, traduzida nos gestos de profundo amor e o jeito envolvente de passar sabedoria, representava o anúncio de uma nova era.

A vizinhança ali representada por líderes e outras pessoas das cidadezinhas e lugarejos próximos, além dos grandes centros, em outra oportunidade mencionados, recebiam a mensagem como o alvorecer não apenas de um novo ano, mas de uma nova era.

Casimiro Cunha comparecia, portanto, como um dos arquitetos dessa cronologia.


Eurípedes Veloso de Matos


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir