Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Coração e vida — Maria Dolores


33


Canção do Tempo

  1 Ao Homem que caíra em franco desalento

  O Tempo apareceu, qual companheiro atento,

  E falou-lhe, depois, com carinho invulgar:

  — Amigo, não te dês à tristeza vazia,

  O Céu nos recomenda em cada novo dia:

  — Servir e prosseguir, trabalhar, trabalhar…


  2 Isso é de lei na própria Natureza,

  Quando a tormenta cai sobre a erva indefesa,

  Qual gigante rugindo a pleno ar,

  A vida a renascer do vale à serra,

  Determina, em silêncio, ao coração da Terra:

  — Servir e prosseguir, confiar, confiar…


  3 O rio ataca os muros da represa,

  Esbraveja, ante as forças de defesa,

  Buscando a fuga por qualquer lugar;

  Vence, depois, sem freio que o detenha

  E a água proclama quando se despenha:

  — Servir e prosseguir, trabalhar, trabalhar…


  4 Para a semente vale por insulto

  O gesto que a retém num canto oculto,

  Qual se fora um veneno a desprezar;

  Mas, atenta à recôndita energia,

  Germina procurando o sol que canta de alegria:

  — Servir e prosseguir, confiar, confiar…


  5 Quem aceitou do Céu, como um favor divino,

  Burilar-se a sofrer e guardar por destino

  O dom de se esquecer e auxiliar,

  Por mais lute nas trilhas em que avança,

  Ouve em si a palavra da esperança:

  — Servir e prosseguir, trabalhar, trabalhar…


  6 O Homem que se pusera, enternecido, à escuta.

  Sentiu-se aliviado, ante os riscos da luta,

  E o Tempo rematou, pedindo-lhe pensar:

  — Mágoas e provações? Trabalha por vencê-las,

  E feliz ouvirás a canção das estrelas:

  — Servir e prosseguir, confiar, confiar…


.Maria Dolores


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir