Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Alto — Autores diversos


14


Irmãos e amigos

1 Irmãos e amigos,
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

2 Em quase um século de codificação kardequiana, vimos as mais variadas experiências no campo da Doutrina Espírita, surgindo e desaparecendo à maneira de cintilações no firmamento das esperanças humanas, cedo absorvidas pelas sombras milenárias que senhoreiam o pensamento terrestre.

3 Anotamos arrojados espetáculos científicos, em que, atendendo às requisições de sábios honestos, elevados mensageiros prestaram as mais eloquentes demonstrações da sobrevivência individual, depois da morte, e identificamos o levantamento de preciosas tribunas para discussões filosóficas por intermédio das quais abnegados instrutores da palavra trouxeram à inteligência os mais altos testemunhos da verdade pura.

4 Entretanto quase todas as empresas da Ciência e quase todos os cometimentos da Filosofia imobilizaram-se à distância do progresso, confundindo-se, muitas vezes, com a negação sistemática por exigirem a interminável recapitulação de estudos e pesquisas, com grave perda de tempo para os quadros evolutivos da humanidade.

5 É que, em maioria, os investigadores das realidades eternas de todos os tempos pretenderam, debalde, ajeitá-las a transitórias conveniências do mundo como se lhes fosse possível desviar o prumo da verdade. 6 Outros perseguiram, simultaneamente, a revelação do Céu e o domínio da Terra, proclamando a fraternidade e cultivando o ódio de raça, destacando as excelências do amor e desvairando-se nas paixões desregradas ou, ainda, exalçando a incorruptibilidade dos bens terrestres e algemando-se, eles mesmos, à cobiça vulgar.

7 Enquanto isso, e enquanto respeitáveis experimentações de nossa fé acenam e passam nos cenários do mundo, a obra de Ismael prossegue firme. Situada no Brasil para efetuar a revivescência do Evangelho de Nosso Senhor Jesus, assentada no Espiritismo, que constitui o glorioso Paracleto, a tarefa sublime do excelso Emissário, sediada na Federação Espírita Brasileira, continua usando as chaves da Codificação de Allan Kardec para descerrar aos tempos novos a claridade imperecível das lições do Senhor. 8 É por isso que ele representa, em todos os recantos do grande lar brasílio, não somente o pão dos famintos e o agasalho para os nus, o socorro aos doentes e o amparo às criancinhas necessitadas, o asilo dos velhos relegados ao abandono e o refúgio dos sofredores, mas também a fonte de luz para a formação do verdadeiro entendimento evangélico, pelo qual a fraternidade legítima e o serviço ao próximo consigam substancializar a justa renovação espiritual da Terra inteira.

9 Reunidos, pois, convosco, em nome da causa de Ismael, reafirmamos as responsabilidades de nosso mandato como servidores humildes do excelso Mensageiro.

10 A iluminação dos corações e das consciências sob a égide da Boa Nova na esfera do Espiritismo é, indiscutivelmente, o florão de nossas mais elevadas promessas.

11 Conduzamos, assim, o Evangelho a todas as criaturas, no trabalho da educação redentora, com Jesus, por Jesus e seguindo para Jesus, hoje e sempre, 12 porque nas pompas cerebrais da civilização do Ocidente o Espiritismo sem Cristo seria apenas mais uma aventura da experimentação e do raciocínio a caminho do caos. n


Bittencourt Sampaio



Reformador — Maio de 1956.


[1] Segundo consta do original, a mensagem foi recebida em 15/04/1956, em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, por ocasião da visita do presidente da FEB ao médium mineiro.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir