Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


94


O orvalho

  1 Se a chuva pode tardar,

  Há sempre a bênção do orvalho,

  Sustentando a Natureza

  No campo do seu trabalho.


  2 Ao termo de cada noite,

  Nas auroras coloridas,

  Podemos felicitá-lo

  Nas ervas agradecidas.


  3 A planta nunca descrê;

  Espera, trabalha e dá.

  Na luta jamais se esquece

  Que o Pai não a esquecerá.


  4 Se o ano é de chuva escassa

  Para o bem das produções,

  Muitas vezes basta o orvalho

  Na força das estações.


  5 Ao seu beijo a terra espera,

  A folha volta ao verdor,

  A flor ostenta-se em festa,

  O dia é renovador.


  6 Nas forças da Natureza,

  O orvalho é como o sorriso

  Que desce diariamente

  Das bênçãos do paraíso.


  7 Seu hálito carinhoso

  Ameniza a atmosfera;

  No verão mais sufocante

  É filho da primavera.


  8 É sempre um fraterno amigo,

  Um símbolo de defesa,

  Do bem entre as forças várias

  Que oprimem a Natureza.


  9 A nós outros, ele ensina,

  No efeito de sua ação,

  Quanto pode conseguir

  A boa disposição.


  10 Sorrisos, calma, bondade,

  Prudência, paz, bom humor,

  São em tudo o brando orvalho

  Da altura do nosso amor.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir