Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


93


O luar

  1 Nas bênçãos de paz da noite,

  Talvez a maior beleza

  Seja o luar que se espalha

  Na vida da Natureza.


  2 O campo dorme em silêncio,

  E o luar na estrada em flor

  Distribui com toda a planta

  O orvalho confortador.


  3 Do céu alto manda as brisas

  Alegres e perfumadas

  Beijar as folhas mais pobres,

  Tristonhas e abandonadas.


  4 Por todo o lugar desdobra

  Sua luz aberta em palmas,

  Afagando as esperanças

  Do divino amor das almas.


  5 Em toda parte onde exista

  O anseio de um coração,

  Ensina o carinho amigo

  Do alfabeto da afeição.


  6 Desde os tempos mais remotos,

  O luar, pelas estradas,

  Foi tido como o padrinho

  Das almas enamoradas.


  7 Ao nosso ver, todavia,

  Nas grandes lições do mundo,

  Sua imagem representa

  Simbolismo mais profundo.


  8 Sua luz mantém na noite

  A mais nobre das disputas,

  Não cedendo à treva espessa

  As posses absolutas.


  9 Entre os homens deste mundo,

  O mal, o crime e o ateísmo

  Tudo ensombram provocando

  A noite de um grande abismo.


  10 Mas a esperança resiste

  E acende na noite imensa

  A luz clara e generosa

  Do eterno luar da crença.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir