Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


78


A boneca

  1 Quase em todos os lugares,

  Vencendo tempo e distância,

  A boneca sempre atrai

  A grande atenção da infância.


  2 Em torno dela palpitam

  Mil castelos pequeninos;

  É a doce futilidade

  Do coração dos meninos.


  3 Nesses campos infantis

  Há luta, rixa, esperança…

  É tão frívola a boneca!

  Mas faz feliz a criança.


  4 Na casinha de brinquedo,

  No princípio nobre e puro,

  É que se forma o programa

  Das construções do futuro.


  5 Sabem disso os pais bondosos

  E, notando a experiência,

  Atendem aos pequeninos

  Sem recursos à violência.


  6 Não dilatam fantasias,

  Não mentem por enganar,

  Mas se valem da boneca

  No intuito de ensinar.


  7 Cada coisa, cada gesto,

  Da mais ínfima expressão,

  São vistos e aproveitados

  Na esfera da educação.


  8 A boneca inanimada

  Constitui sempre o motivo,

  De lições maravilhosas,

  De trabalho evolutivo.


  9 Há no mundo muitos homens,

  Sem propósitos do mal,

  Que guardam muitas bonecas

  Da infância espiritual.


  10 Junto deles, não condenes,

  Não tenhas reprovação,

  Não te faças de menino,

  Jamais lhes negues a mão.


Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir