Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


63


O vento

  1 Quando passes no caminho,

  Dando luz ao pensamento,

  Não deixes de meditar

  Na doce missão do vento.


  2 Quem lhe imprimiu tanta força?

  Donde vem? de que maneira?

  Parece o sopro do céu

  Alentando a sementeira.


  3 Une as frondes amorosas,

  Acaricia a ramagem,

  É um fluido caricioso

  Amenizando a paisagem.


  4 É o mensageiro bondoso

  Da alegria e da abundância,

  Trocando os germens da vida,

  Vencendo a noite e a distância.


  5 De outras vezes é um amigo

  Com fraternas exigências,

  Que pratica nos caminhos

  Profundas experiências.


  6 Se a flor é infiel à seiva

  Que lhe deu força e guarida,

  O vento condu-la ao chão,

  Só deixando a flor da vida.


  7 Seu papel na Natureza

  Vai da vida, à seleção,

  Permutando os germens puros

  Das sementes de eleição.


  8 Também, na vida da Terra,

  A função do sofrimento

  Parece identificar-se

  Com os fins da missão do vento.


  9 Troca ele as nossas almas,

  Mata as flores da ilusão,

  Refunde os nossos valores

  Em nova fecundação.


  10 O turbilhão de amargores

  É mais vida envolta em véus,

  Povoando a nossa estrada

  Com os germens da luz dos Céus.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir