Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


54


A montanha

  1 Dentre todas as paisagens,

  Talvez a mais bela e estranha,

  É aquela que se observa

  Na solidão da montanha.


  2 Dura e estéril muitas vezes,

  Deserta, triste, empedrada,

  A montanha nos parece

  A terra amaldiçoada.


  3 Entre as rochas do seu corpo,

  Florescem cardos somente;

  Flores rudes e espinhosas

  Da soledade inclemente.


  4 Seus píncaros elevados,

  Na figura da paisagem,

  Chamam somente a atenção

  Do espírito de coragem.


  5 Comparada ao movimento

  Do vale em relva macia,

  Fornece a impressão penosa

  Da aridez e da agonia.


  6 Entretanto, em todo tempo,

  É a sua força que encerra

  O amparo caricioso

  Aos vales de toda a Terra.


  7 Sem sua dureza agreste,

  Repleta de solidão,

  As planícies morreriam

  Por falta de proteção.


  8 É ela a mão silenciosa

  Da energia que produz;

  No seu cume nunca há sombras,

  Seu dia inteiro é de luz.


  9 No mundo, as almas do amor,

  Mais sábias, mais elevadas,

  São montanhas que parecem

  Estéreis e desprezadas.


  10 Todavia, é o sacrifício,

  De sua desolação,

  Que sustenta em toda a vida

  Os vales da evolução.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir