Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


47


A ponte

  1 Onde a estrada se biparte,

  Parando sem que prossiga,

  Manda o Pai que se construa

  A ponte bondosa e amiga.


  2 Consagrada ao bem dos outros,

  Todo instante, atenta a isso,

  Dom doa céus a revelar

  O espírito de serviço.


  3 Suspensa sobre as alturas,

  Onde uma queda ameaça,

  Sem privilégio a ninguém,

  A ponte serve a quem passa.


  4 Sempre pronta no caminho,

  No seu esforço incessante,

  Todo o tempo, dia e noite,

  É bondade vigilante.


  5 Sanando dificuldades,

  Dá-se ao que vai e ao que vem,

  Pratica com todo o mundo

  A divina lei do bem.


  6 Por gozar-lhe toda hora

  Seu constante e terno amor,

  Os homens nunca refletem

  Na extensão do seu valor.


  7 Muita vez é necessário,

  Para que o possam sentir,

  Que em meio da tempestade

  A ponte venha a cair.


  8 No instante em que cada qual

  Vê que o bem próprio periga,

  Já ninguém mais desconhece

  Quem era essa grande amiga.


  9 A ponte silenciosa,

  No esforço fiel e ativo,

  É um apelo à lei do amor ,

  Sempre novo, sempre vivo.


  10 Vendo-a nobre e generosa,

  Servindo sem altivez,

  Convém saber se já fomos

  Como a ponte alguma vez.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir