Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


19


A enxada

  1 No conjunto dos trabalhos,

  A enxada pobre e esquecida

  É uma agulha generosa

  Que borda o lençol da vida.


  2 Com desvelos carinhosos,

  Faz o berço às sementeiras,

  Protege os rebentos frágeis,

  Traçando caminho às leiras.


  3 Essa agulha delicada,

  Vibrando de pólo a pólo,

  Aperfeiçoa a paisagem,

  Lançando mais vida ao solo.


  4 Obediente e bondosa,

  Coopera com o lavrador,

  E onde passa costurando,

  Eis que o chão transborda em flor.


  5 Devem-lhe muito os celeiros

  Na colheita farta, imensa,

  Mas a enxada dadivosa

  Nunca pede recompensa.


  6 Seu prazer está nas lutas,

  Nos trabalhos naturais;

  Alguém lucra em seus esforços?

  Mais serviço e terás mais.


  7 Não sabe se há chuvas fortes,

  Se há calor de requeimar,

  Disposta sempre ao possível,

  Tem gosto de trabalhar.


  8 Modesta, criteriosa,

  Atende ao labor que a chama,

  Fiel ao bom lavrador,

  Executa o seu programa.


  9 Instrumento valoroso,

  Que não trai nem esmorece,

  Exemplifica no mundo

  A humildade que obedece.


  10 Imagina a tua glória,

  Teu triunfo jamais visto,

  Quando fores boa enxada

  Nas divinas mãos do Cristo.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir