Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


14


A terra e o lavrador

  1 Nos quadros da Natureza,

  A terra e o cultivador

  São personagens sublimes

  Do livro do Pai de Amor.


  2 A terra mais seca e dura

  Conserva, no coração,

  As bênçãos da Luz Divina

  Que fornece o nosso pão.


  3 E o lavrador é o amado,

  A mão simples, meiga e boa,

  Que regenera e semeia,

  Que cultiva e aperfeiçoa.


  4 Pesados desbravamentos,

  Arado rude a ferir…

  Humilde, dilacerada,

  Toca a terra a produzir.


  5 Quanto mais a enxada vibre

  No sulco forte e profundo,

  Mais a flor promete fruto,

  Mais o celeiro é fecundo.


  6 Muita vez, o solo agreste

  É lama desamparada,

  Mas a mão do lavrador

  Traz a vida renovada.


  7 Onde queimava o deserto

  E o calor não tinha fim,

  Brincam asas buliçosas,

  Cantam flores de jardim.


  8 Quem não viu da própria estrada

  O esforço do lavrador

  E a terra aberta em feridas.

  Dando a riqueza interior?


  9 Assim, no mundo, a alma pobre,

  Inda vil, inda assassina,

  Oculta a fagulha excelsa

  Da Consciência Divina.


  10 E a dor, nossa grande amiga,

  Na terra do coração,

  É o lavrador bem-amado

  Da vida e da perfeição.


Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir