Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Evangelho e outros poemas — Casimiro Cunha — 1ª Parte


15


Carta aos homens do campo

  1 Meu irmão, se o teu trabalho

  É o trato amigo da terra,

  Vive a grandeza sublime

  Que a tua missão encerra.


  2 Nunca invejes a cidade

  Tanta vez desiludida…

  O ar puro do campo

  É a santa essência da vida.


  3 Busca os livros, mas conserva

  A tua realidade,

  Sabendo que a natureza

  É o livro da Eternidade.


  4 O mundo se perde agora

  Em treva e desolação,

  Nos males vindos do excesso

  Dos vícios de educação.


  5 Há no Céu quem não te esquece.

  Cultiva o teu campo em flor

  O mundo não viveria

  Sem tua quota de amor.


  6 Conserva e ama a paisagem

  Onde o teu sonho nasceu.

  A terra bondosa e farta

  É outra mãe que Deus te deu.


  7 Borda o teu campo de estradas

  Semeia o teu caminho…

  Seja o teu sítio uma escola

  De amor, de aço, de carinho,


  8 Que os teus feitos de trabalho

  Sejam tantos e tamanhos

  Que se reflitam na estrada

  Da vida de teus rebanhos.


  9 Se os animais colaboram

  Nas fontes de produção,

  São eles os companheiros

  De tua realização.


  10 Protege-os, sempre que possas.

  Ouve e guarda o que te peço.

  Os animais, igualmente,

  Têm suas leis de progresso.


  11 Trabalha, educando os teus.

  Educa e triunfarás.

  Seu exemplo ensina ao mundo

  O santo esforço da paz.


  12 Hoje, as ciências terrestres

  Por vezes, causam tristeza,

  Mas, tu conservas o mundo

  Com as luzes da natureza.


  13 O Cristo não te abandona

  Com a paz de Seu coração,

  Pois transformas no caminho

  As Suas bênçãos em pão.


  14 Irmão da simplicidade,

  Deus te abençoe, lavrador!…

  O teu celeiro está farto

  De luz, de paz e de amor.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir