Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Evangelho e outros poemas — Casimiro Cunha — 1ª Parte


13


Carta aos patrões

1 Ser patrão, ter empregados,

Ser administrador,

É receber de Jesus

Deveres de educador.


  2 Quem, no mundo, é convocado

  Às lutas da direção

  Tem de guardar a justiça

  Acima do coração.


3 Meu amigo, se orientas

Muitos homens, em comum,

Tens de agir, considerando

O esforço de cada um.


  4 Faz-se mister discernires,

  Com muita especialidade,

  A tolerância e a justiça

  Nas balanças da amizade.


5 Tens de ser, ao mesmo tempo,

Amor, bondade, energia,

Defendendo o bem comum

Nas lutas de cada dia.


  6 Na excelsa expressão de amor

  Em toda a tua oficina,

  Hás de ser o chefe amigo

  Nas luzes da disciplina.


7 Na bondade ensinarás

O trabalho santo e honesto,

Fornecendo um brando ensino

Na força de cada gesto.


  8 Ter energia é ser justo,

  Mas, justiça e caridade

  Só se cumprem sob a luz

  Do espírito da verdade.


9 “Muito pede o Céu daquele

A quem muito se haja dado”,

Multiplica os teus “talentos”

Que são bens do Mestre Amado.


  10 O apóstolo do trabalho

  Realiza, observa e sente;

  E, às vezes, é responsável

  Pela paz de muita gente.


11 Todo lugar de serviço,

Seja pobre ou seja rude,

Deve ser toda uma escola

De inteligência e virtude.


  12 O êxito em teus esforços,

  A paz de tua missão,

  Dependem de compreenderes

  O senso da educação.


13 Quando todo empregador

Cumprir seu dever terrestre,

O orbe há de ser a escola

Do amor do Divino Mestre.


  14 Entre a energia e a bondade

  De tua realização,

  Terás as bênçãos divinas

  No esforço da perfeição.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir