Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico Xavier, coração missionário — Autores diversos


29


Silêncio e perdão

1 Dos heróis do Cristianismo, referentemente ao silêncio e ao perdão, destacaremos hoje Santo Antão  †  que viveu mais de cem anos, de 250 a 356, dando exemplos de paz e amor ao Mundo Cristão, nascido em Coman,  †  no interior do Egito, desde cedo abeirou-se da doutrina do Evangelho.

2 Filho, cedo sem o pai, a amorosa mãezinha deu-lhe um padrasto de modos rudes que aos dezenove anos lhe deu cruel espancamento, em vista de pesada calúnia de um serralheiro de que se fizera aprendiz.

3 Caluniado e indefeso, sofreu em silêncio a penosa agressão, com a expulsão do próprio lar.

4 Antão procurou o núcleo cristão a que pertencia e procurou nos textos a palavra do Senhor. Quando encontrou a parábola do moço rico ( † ) se deveria considerar as considerações do Divino Mestre, quando falou ao jovem: 5 Se queres ser perfeito e caminhar para os céus, desprende-te de tudo a que te apegas, e distribui os teus pertences com os necessitados e os doentes; resolveu seguir à risca aquela afirmação e, depois de confortar o coração materno, retirou-se para uma paisagem deserta onde encontrou restos de uma choupana abandonada por seres primitivos e ali montou o seu ponto de apoio.

6 Nos primeiros dias, recebia da própria mãe um pão em cada dia por intermédio de um cão fiel que o servia, no entanto, dedicou-se à oração com os doentes que o procuravam em sua solidão. 7 Foi tentado muitas vezes por amigos da sua juventude a buscar a vida de prazeres inúteis, resistindo a todos os encantos. 8 Procurado constantemente pelos enfermos à influência da prece. 9 Cresceu em popularidade, a ponto de ser buscado por pessoas eminentes e de todas as classes sociais; 10 foi convidado por um seu amigo a confortar os cristãos martirizados pelo romano Maximiliano Daia,  †  alteando-se em poder de curar doentes dentro da espécie.

11 Certo dia viu o Senhor a elevar-se em glória e luzes e, chamado a instruir os cristãos no Concilio de Niceia  †  em 325, asseverou publicamente que vira o próprio Deus.

12 Cercado de doentes aos quais se entregou de coração, viu-se obrigado à mudança para uma praia do Mar Vermelho,  †  aí continuou o seu ministério, sem jamais acusar o padrasto e serralheiro que o expulsara do próprio lar… 13 Esse gigante da fé viveu 80 anos sem jamais se queixar, totalmente consagrado ao silêncio e ao perdão.

14 Trazemos esta memória à nossa reunião para demonstrar que o perdão e o silêncio devem assinalar a nossa jornada de paz, amor, verdade e luz, pois somente no silêncio e no perdão poderemos vivenciar uns com os outros a bendita doutrina de Jesus.


.Bezerra de Menezes



Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, na noite de 14.11.1998, em reunião pública do Grupo Espírita da Prece em Uberaba - MG.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir