Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Caminhos do amor — Maria Dolores


4


Se te dizes

  1 Se te dizes tão pobre, alma querida,

  Que nada tens a dar

  Para contribuir na construção do Amor,

  Oferece no prato da humildade

  A tua dor

  Nos tropeços da vida,

  Em favor dos irmãos de nossa própria estrada,

  Recordando esta mesa,

  Terna e sacrificada,

  Que foi árvore em flor, brilho da natureza,

  E se deixou serrar para servir

  De apoio às nossas preces,

  Sofrendo humilhações que desconheces,

  Nobre e formoso lenho,

  Cuja bondade não mereço,

  De maneira a expressar te o meu apreço,

  Nas palavras humílimas que tenho…


  2 Se te dizes com tanta imperfeição

  Que não consegues trabalhar

  Em nossa própria redenção,

  Olvidando o teu dom de agir

  No socorro a quem chora,

   Fita uma das lâmpadas, à frente,

   Fabricada sem pompa e sem grandeza,

   Que, aceitando viver em disciplina,

   Vive ligada à usina,

   Faz-se flâmula acesa,

   Estrela maternal,

   Que nos serve e ilumina,

   A fim de que vejamos

   Toda e qualquer lição que nos eleva,

   Procurando mais luz que nos livre da treva.


  3 Se te dizes no tempo, em tamanho cansaço

  Que não podes ser útil a ninguém,

  Contempla o chão que nos mantém

  E se deixou cercar

  Para que a nossa ideia tenha um lar.

  Chão que é faixa de terra em estreito pedaço,

  Que suportou enxadas e tratores,

  Lamentando perder o seus lauréis de flores

  E a música dos ninhos

  Que lhe vinha da voz dos passarinhos,

  Em troca de verdura e acolhimento,

  Chão que prossegue sempre esquecido e pisado,

  Prestimoso e calado,

  Qual benfeitor sem voz,

  Que nunca reclamou salário junto a nós.


  4 Nunca digas “não posso”, “eu não tenho”, “é impossível”.

  Seja qual for o nível

  Que a existência te dá,

  Alma querida, vem!…

  Vem estender conosco a Seara do Bem,

  Deus te utilizará.


.Maria Dolores


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir