Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Baú de casos — Cornélio Pires


12

Dinheiro e serviço

  1 Você deseja de nós,

  Meu caro Juca Loureiro,

  Alguma nota do Além

  Sobre a questão do dinheiro.


  2 Entretanto, caro amigo,

  Você, de modo geral,

  Somente fala em moeda

  Quanto ao que existe de mal.


  3 Refere-se a casos tristes,

  Aos delitos, tais quais são,

  E apenas vê na riqueza

  Motivo à condenação.


  4 Escute. Medite um pouco

  No que a lógica elucida

  E encontrará no dinheiro

  Apoio, progresso e vida.


  5 Sem a finança mantendo

  A escola, o pão, o agasalho,

  Pouca gente sobraria

  Para a bênção do trabalho.


  6 E sem trabalho constante

  O mundo inteiro, por certo,

  Estaria reduzido

  A pavoroso deserto.


  7 A moeda claramente

  É força a prevalecer

  Até que o dom de servir

  Seja na Terra um prazer.


  8 Para evitar entre nós

  Qualquer indução à briga,

  Peço a você rememore

  O burro da história antiga.


  9 Em recanto de outras eras,

  Existiu certo muar

  Que em vez de ajudar na vila,

  Só vivia de empacar.


  10 Submetido a chicote,

  Nem notava o próprio dano,

  Se alguém lhe impusesse carga,

  Dava coice a todo o pano.


  11 Certo dia, um cavaleiro,

  Com muito tempo de monta,

  Mostrou a ele uma vara

  Com milho verde na ponta.


  12 Em seguida, o curioso,

  Resguardando o milho em paz,

  Avançou, buscando a frente

  E o burro seguiu atrás.


  13 Com semelhante incentivo,

  Trotou pela estrada larga,

  Interessado na espiga

  Servia, aguentando a carga.


  14 Você pode observar

  Pelo assunto que me envia,

  Que, ante a saga desse burro,

  Há muita filosofia.


  15 É isso aí… Sem trabalho

  Que a moeda alenta e anota,

  Os homens copiariam

  A lentidão da marmota.


  16 Não condene os bens do mundo,

  Sejam meus ou sejam seus;

  Dinheiro marca a nós todos

  Como instrumento de Deus.


Cornélio Pires


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir