Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia dos Imortais — Autores diversos — 2ª Parte


57

Lafayette Melo


CARMA

  1 Há no vasto castelo, estilo Renascença,

  Desenhos e painéis de perfeição sem nugas.

  Milhões de almas, aí tomadas de ânsia imensa,

  Estudam crânios, pés, braços, mãos e verrugas…


  2 Buscando provação, dor, angústia e doença,

  Desenham-se croquis de mil prisões sem fugas…

  E falam do valor da matéria mais densa,

  Seja na carne flórea ou num manto de rugas.


  3 Tudo é justiça e amor, em feliz casamento;

  No Palácio da Luz brilha o renascimento, n

  Enaltecendo a Lei, em Divino Objetivo.


  4 E o carma aperfeiçoa os derradeiros planos

  De todo viajor dos carreiros humanos

  Ao renascer no corpo, o templo excelso e vivo!


ANJOS E FERAS

“Ingratos, os homens se afastaram do caminho reto e largo que conduz ao reino de meu Pai…” — O Espírito de Verdaden


  1 E morre a Humanidade em bacanais horrendas…

  Manda o bezerro de ouro e, qual dragão, rapina

  Os princípios da fé, a enterrá-los nas lendas…

  Chega Moisés, a Lei, e aclama a Voz Divina!


  2 Séculos vêm e vão… Em loucuras tremendas n

  Surge o monstro do vício a morder… E domina.

  Nasce Jesus, o Amor, descerrando outras sendas,

  E ergue a força do bem por excelsa doutrina!


  3 Segue o passo do tempo, e eis que por toda a Terra

  Os chacais do ateísmo e as hienas da guerra

  Cercam as multidões de fracos e infelizes…


  4 Mas Kardec, a Razão, estende luz à História;

  Desponta o Espiritismo, o Evangelho em vitória,

  Traçando ao mundo aflito as Novas Diretrizes!…


ESPÍRITA!

  1 Atende à dor maior a bramir quando passas:

  Homens na idade anciã gemendo em noite fria…

  Infratores da Lei sob as trevas madraças…

  Pais a implorar trabalho e pão de cada dia…


  2 Jovens no imenso caos de aventuras devassas…

  Anônimos abrindo o corpo à Anatomia…

  Mil pedintes sem rumo a esmolar pelas praças…

  Mulheres onde o crime, em sombra, assalta e espia…


  3 Petizes a esperar quem os peça primeiro… n

  Enfermos sem socorro, ao léu da prova escura…

  E mães cata-papéis junto ao lixo-celeiro…


  4 A Religião da Luz não se isola no Templo; n

  Qual pábulo de amor para toda criatura,

  A grandeza da Fé fulge e cresce no exemplo!…


EXPIAÇÃO

  1 Enterro de outro corpo. Abrindo a campa fria,

  Ocorreu a imprevista exumação… O achado

  Do cadáver de borco, horrível, macerado,

  No pavor da aflição, recordando a agonia…


  2 Torva interrogação pairou, rude e sombria:

  — Fora enterrado vivo o inditoso finado?…

  Mas, no Espaço, o problema era já superado:

  Caso triste e invulgar de catalepsia… n


  3 Alguém pagou à Lei o ceitil derradeiro,

  No sofrimento atroz dos minutos da morte,

  De um crime feito atrás quando fora coveiro


  4 E a alma foi demandando as Esferas da Altura,

  Exultante de amor, resplandecente e forte,

  Mais livre e mais feliz, mais serena e mais pura!… n


O PREÇO DA FALTA

  1 — “Monstro! Monstro! Olhe o monstro!… — Esse era o grito n

  Quando ele vinha… O rosto bexiguento…

  A mão mirrada… A calva exposta ao vento…

  Arrimado ao bastão, coxeante e aflito…


  2 Um dia cai… Arrasta-se, febrento…

  Ziguezagueia o cérebro em conflito

  E morre qual se fora cão maldito

  No caos de um formigueiro em movimento…


  3 Liberto enfim!… Alegre e delirante,

  Sonha empunhar espada e fino guante

  Picando irmãos em luta fratricida!…


  4 Desperta! E oscula em lágrimas ditosas

  As pequeninas feras belicosas

  Com quem purgara os erros de outra vida.


LAFAYETTE MELO — Filho de Desidério de Melo e de D. Clarinda de Melo, L. Melo, além de poeta, foi professor, poliglota e jornalista. Um dos fundadores e diretores de O Garoto, em sua terra natal. Órfão de pai desde cedo, foi um autodidata. Desde que se tornou espírita, passou a ser devotado colaborador de A Flama (hoje, A Flama Espírita), semanário espírita uberabense, com sonetos bem trabalhados, de conteúdo doutrinário. (Uberaba, Minas, 21 de Outubro de 1892 — Patrocínio, Minas, 15 de Agosto de 1953.)



[1] renascimento. Evidentemente, nada tem a ver com o estilo Renascença do 1º verso, e sim, com a reencarnação.

[2] Eis parte do texto integral: “Mas, ingratos, os homens se afastaram do caminho reto e largo que conduz ao reino de meu Pai e enveredaram pelas ásperas sendas da impiedade.” (Allan Kardec, O Evangelho seg. o Espiritismo, cap. VI, “Instruções dos Espíritos”, “O advento do Espírito de Verdade”.)

[3] Atente-se no ritmo do 1º hemistíquio, inteiramente jâmbico.

[4] Aliteração em p.

[5] Religião da Luz: o Espiritismo ou Doutrina Espírita a que os Espíritos costumam chamar a Religião Cósmica do Amor e da Sabedoria.

[6] Suarabácti: “ca-ta-le-p-si-a”.Cf. nota 1, do cap. 10 da 1ª Parte.

[7] Note-se a epímone. — Cf. 1ª nota do cap. 3 da 1ª Parte.

[8] Mesarquia. — Cf. 2ª nota do cap. 7 da 1ª Parte.


(Psicografia de Waldo Vieira)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir