Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Amigo — Emmanuel


19

Companheiros de jornada

1 Talvez que um dos mais belos espetáculos ante a Espiritualidade Superior, seja o de anotar a persistência dos companheiros enfaixados na Vida Física, sempre que se mostrem decididamente empenhados a lutar pela vitória do bem.

2 Companheiros que, em muitas ocasiões comparecem nas tarefas do bem, vergados ao peso do sofrimento; 3 que se reconhecem constantemente visitados por forças contrárias aos compromissos que abraçam a lhes testarem a resistência; 4 que, não raro, suportam tempestades ocultas na própria alma; 5 que, ás vezes, se sentem espancados por injúrias nascidas de muitos daqueles aos quais se afeiçoaram com os mais altos valores da própria vida 6 e, que, no entanto, renovam as próprias forças na oração, através da qual confiam em Deus e em si mesmos, prosseguindo adiante nos encargos construtivos que lhes dizem respeito.

7 Em outras circunstâncias, eles próprios caem no erro, sempre natural naqueles que ainda caminham sob os véus da existência física, mas sabem reerguer-se, de imediato, com suficiente humildade para o recomeço da marcha.

8 E trabalham. E se esfalfam na própria melhoria, respeitando a estrada dos outros, da qual recolhem exemplos edificantes, sem procurarem qualquer motivação à censura, evitando congelar a seara alheia.

9 Se te propões a colaborar no levantamento do bem de todos, não desistas de agir e servir.

10 Momentos sobrevirão em que o teu campo de atividades parecerá coberto de sombras e sentirás talvez o coração transido de lágrimas.

11 Ainda assim, não te marginalizes. Chora, mas prossegue lutando e trabalhando pelo bem comum.

12 Se tropeças, reajusta-te. Se cais, levanta-te e continua em serviço.

13 Se desenganos te requisitam, torna ao replantio de esperanças maiores e segue adiante, amando e auxiliando no melhor a fazer.

14 Relacionando as dificuldades que todos trazemos, por enquanto, nos recessos do ser, é justo considerar que a vitória em nós e sobre nós ainda nos custará muito esforço de construção e reajuste, entretanto, para altear-nos ao ideal do bem, fixando energias para sustentá-lo, recordemos o Cristo de Deus; 15 regressando, depois da morte, à convivência dos discípulos, Jesus nem de longe lhes assinala as deficiências e as fraquezas e sim lhes reafirma em plenitude de confiança: — “Estarei convosco até o fim dos séculos”. ( † )


.Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir