Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Agência de Notícias — Jair Presente


6

 

Caso de Vitorino

   1 Disse o Guia: “Vitorino

  A mais importante norma

  De sublimar a existência

  É a nossa própria reforma.


  2 Não se descuide. Inda agora,

  Ouça o aviso do Além,

  Ninguém consegue elevar-se

  Sem renovar-se no Bem.”


   3 Respondeu o interpelado,

  Humilde, baixando o olhar:

  — “Repito-vos, caro Guia

  Eu prometo melhorar.”


  4 Muito embora, Vitorino

  Fosse ao grupo de oração,

  Fora do grupo, era ele

  A própria contradição.


   5 Negociando ouro e joias,

  Bebia sempre onde ia.

  Transtornado, de repente,

  Insultava e discutia.


  6 Mantinha a esposa e dois filhos,

  No entanto, chegando em casa,

  Era um ébrio renitente,

  Mostrando os olhos em brasa…


   7 Espancava a companheira

  Pobre louco em desatinos,

  Em seguida ao quebra-quebra,

  Espancava os dois meninos.


  8 Ameaçava os parentes,

  Rixava por frase à toa,

  Chegando a noite das preces

  Parecia outra pessoa.


   9 No grupo, o Guia amoroso,

  Continuava a falar,

  Vitorino respondia:

  — “Eu prometo melhorar.”


   10 No outro dia, a mesma nota,

  Era a pessoa insegura,

  Bebia constantemente,

  Quase atingindo a loucura.


   11 Vitorino possuía

  Outra casa e outra mulher,

  Gritando para os vizinhos:

  “Tenho a vida que eu quiser.”


   12 Essa infeliz criatura,

  Se o bebum aparecia,

  Também sofria, humilhada,

  Injúria e pancadaria.


   13 A essa mulher segunda

  Ele chamava de “estepe”;

  Era uma jovem doente,

  Magrinha que nem ganzepe.


   14 Chegando a noite das preces,

  Eis o Guia a aconselhar,

  Ele, porém, só dizia:

  — “Eu prometo melhorar.”


   15 Mas os anos transcorreram,

  Aos tragos, sem intervalo,

  Assustado, certa noite,

  Viu a morte a procurá-lo.


   16 Todo encolhido no leito,

  Sofria grande aflição,

  Terríveis e fortes dores

  Em torno do coração.


   17 Ele pediu: “Morte amiga,

  Deixe-me, quero sarar,

  Se tenho errado no mundo

  Eu prometo melhorar.”


   18 Disse a Morte: “Não se queixe,

  Entenda, prezado amigo,

  Não me venha com promessas

  Seu caso agora é comigo!…


   19 Você teve muitas chances,

  Muito dinheiro e conforto,

  Você continua vivo

  Mas o seu tempo está morto!…”


   20 Vitorino, estarrecido,

  Notou a morte ao seu lado,

  Depois em breves momentos

  Estava desencarnado.


   21 No outro dia, grande enterro,

  Descia por flórea rampa

  E duas mulheres tristes

  Chorando na mesma campa.


.Jair Presente


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir