Antigo Testamento | Jeremias - Capítulo 32

Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Jeremias    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 32

(Versículos e sumário)

32 Palavra que pelo Senhor foi dirigida a Jeremias no décimo ano de Sedecias, rei de Judá. Este é o ano décimo oitavo de Nabucodonosor.

2 Cercava então o exército do rei de Babilônia a Jerusalém; e o profeta Jeremias estava recluso no átrio do cárcere, que havia na casa do rei de Judá.

3 Porque Sedecias, rei de Judá, o havia encerrado, dizendo: Porque vaticinas, dizendo: Isto diz o Senhor: eis aqui estou eu que entregarei esta cidade nas mãos do rei de Babilônia, e ele a tomará?

4 E Sedecias, rei de Judá, não escapará da mão dos caldeus; mas será entregue nas mãos do rei de Babilônia; e falará com ele boca a boca, e os seus olhos verão os olhos dele.

5 E levará a Sedecias para Babilônia; e ali estará até que eu o visite, diz o Senhor; e se pelejardes contra os caldeus, não tereis bom sucesso.

6 E disse Jeremias: Foi-me dirigida a palavra do Senhor, a qual dizia:

7 Eis-aí está que eu primo Hanameel, filho de Sellum, virá a ti, dizendo: Compra para ti o meu campo, que está em Anathoth; porque te compete a ti o comprá-lo por seres o mais próximo parente.

8 E veio ter comigo Hanameel, filho de meu tio paterno, conforme a palavra do Senhor ao pátio do cárcere, e me disse: Apossa-te do meu campo, que está em Anathoth, em terra de Benjamim; porque a ti te compete a herança, e tu és o parente mais chegado para possuí-la. E eu entendi que era palavra do Senhor.

9 E comprei o campo a Hanameel, filho de meu tio paterno, que está em Anathoth; e lhe pesei por ele em prata sete estateres, e dez siclos também de prata.

10 E fiz uma escritura, e assinei-a, e chamei testemunhas; e pus o dinheiro em uma balança.

11 E tomei a escritura de aquisição, firmada, e as estipulações do contrato, e a ratificação dele, com os selos por fora.

12 E dei a escritura de aquisição a Baruc, filho de Neri, filho de Maasias, à vista de Hanameel, meu primo, à vista das testemunhas, que se haviam assinado na escritura de compra, e à vista de todos os judeus, que estavam assentados no átrio do cárcere.

13 E dei ordem a Baruc diante deles, dizendo:

14 Isto diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Toma estas escrituras, esta escritura de compra cerrada, e est’outra escritura, que está aberta; e mete-as numa vasilha de barro, para que se possam conservar muitos dias.

15 Porque eis aqui o que diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: Ainda se comprarão casas e campos, e vinhas nesta terra.

16 E  roguei ao Senhor, depois que entreguei a escritura de aquisição a Baruc, filho de Neri, dizendo:

17 Ah! ah! ah! Senhor Deus! Eis-aí está que tu fizeste o céu e a terra com o teu grande poder, e com o teu braço estendido! Não haverá coisa alguma que seja difícil para ti;

18 Que fazes misericórdia em milhares, e tornas a iniquidade dos pais ao seio de seus filhos depois deles: Ó fortíssimo, grande e poderoso, Senhor dos exércitos é o teu nome.

19 Grande em conselho, e incompreensível no pensamento, cujos olhos estão abertos sobre todos os caminhos dos filhos de Adão, para retribuíres a cada um segundo os seus caminhos, e segundo o fruto das invenções do seu capricho,

20 Que fizeste sinais e portentos na terra do Egito até o dia de hoje, e em Israel, e entre os homens, e te fizeste um nome qual tu tens neste dia.

21 E tiraste o teu povo de Israel da terra do Egito com sinais e com portentos, e com uma mão forte, e com um braço estendido e com terror.

22 E lhes deste esta terra, como o juraste aos pais deles, que lhes darias uma terra, que manasse leite e mel.

23 E entraram, e tomaram posse dela. E não obedeceram à tua voz, nem andaram na tua lei, e não cumpriram nada de quanto lhes mandaste que fizessem; e lhes aconteceram todos estes males.

24 Eis-aí levantadas estão as máquinas contra a cidade para ser tomada; e a cidade tem sido entregue nas mãos dos caldeus, que combatem contra ela à vista da espada, e da fome, e da peste. E quanto falaste tudo aconteceu, como tu mesmo o estás presenciando.

25 E tu, Senhor Deus, me dizes: Compra o campo por dinheiro, e toma testemunhas; havendo sido a cidade entregue nas mãos dos caldeus.

26 E foi dirigida a palavra do Senhor a Jeremias, a qual dizia:

27 eis aqui estou eu que sou o Senhor Deus de toda a carne. Haverá pois alguma coisa que seja difícil para mim?

28 Portanto, isto diz o Senhor: eis aqui estou eu que entregarei esta cidade nas mãos dos caldeus, e nas mãos do rei de Babilônia, e eles a tomarão.

29 E virão os caldeus a pelejar contra esta cidade, e lhe porão fogo, e a queimarão, e as casas, em cujos terraços sacrificavam a Baal, e ofereciam a deuses estranhos libações para me irritarem.

30 Porque os filhos de Israel, e os filhos de Judá estavam fazendo incessantemente o mal diante dos meus olhos desde a sua mocidade; os filhos de Israel que até agora me irritam com as obras das suas mãos, diz o Senhor.

31 Porque esta cidade se me tem feito objeto do meu furor e da minha indignação, desde o dia em que a edificaram, até este dia em que será tirada da minha presença.

32 Pela maldade dos filhos de Israel, e dos filhos de Judá, que fizeram, provocando-me a ira, eles mesmos e os seus reis, e os seus príncipes, e os seus sacerdotes, e os seus profetas, os varões de Judá e os moradores de Jerusalém.

33 E voltaram-me as costas e não o rosto; quando os ensinava de madrugada, e os corrigia, e não queriam ouvir para receberem a admoestação.

34 E puseram os seus ídolos na casa em que o meu nome foi invocado, para o profanarem.

35 E edificaram a Baal os altares que estão no vale do filho de Ennom para fazerem sacrifícios de seus filhos e de suas filhas a Moloch; o que eu lhes não mandei, nem subiu ao meu coração que fizessem esta abominação, nem induzissem o pecado a Judá.

36 E agora por amor disto, assim diz o Senhor Deus de Israel a esta cidade, da qual vós dizeis que será entregue nas mãos do rei de Babilônia à espada, e à fome, e à peste.

37 eis aqui estou eu que os congregarei de todas as terras, para onde os lancei no meu furor, e na minha ira, e na minha grande indignação; e os trarei a este lugar, e farei que habitem nele sem temor.

38 E serão para mim o meu povo, e eu serei para eles o seu Deus.

39 E dar-lhes-ei um coração, e um caminho, para que me temam todos os dias; e lhes vá bem a eles, e a seus filhos depois deles.

40 E farei com eles uma aliança sempiterna, e não deixarei de fazer-lhes bem; e porei o meu temor no coração deles, para que se não apartem de mim.

41 E alegrar-me-ei sobre eles, quando lhes fizer bem a eles; e plantá-los-ei nesta terra em verdade, com todo o meu coração, e com toda a minha alma.

42 Porque isto diz o Senhor: Assim como fiz vir sobre este povo todo este grande mal, assim farei vir sobre eles todo o bem; que eu lhes anuncio.

43 E serão possuídos os campos nesta terra; da qual vós dizeis que está toda deserta, por não ter ficado nela nem homem, nem animal, e porque ela foi entregue nas mãos dos caldeus.

44 Os campos serão comprados por dinheiro, e registrados em escritura, e pôr-se-lhes-á o selo, e tomar-se-ão testemunhas; na terra de Benjamim, e nos contornos de Jerusalém, nas cidades de Judá, e nas cidades das montanhas, e nas cidades das planícies, nas cidades que estão ao Meio-dia; porque farei voltar os cativos deles, diz o Senhor.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir