Bíblia do Caminho Testamento Redentor

Epístola de S. Paulo aos Romanos  † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 8  † 

(Versículos e sumário)

8 Agora pois nenhuma condenação há para os que estão em Jesus Cristo, que não andam segundo a carne.

2 Porque a lei do espírito da vida em Jesus Cristo me libertou da lei do pecado e da morte.

3 Porquanto o que era impossível à lei enfraquecida pela carne; Deus o fez enviando seu Filho em carne semelhante à do pecado, e por causa do pecado, condenou ao pecado na carne,

4 Para que a justificação da lei se cumprisse em nós, que não andamos mais segundo a carne, mas segundo o espírito.

5 Porque os que vivem segundo a carne, gostam das coisas que são da carne, mas os que vivem segundo o espírito, apreciam as coisas que são do espírito.

6 Ora, o destino da carne é a morte, mas o do espírito é vida e paz.

7 Porquanto a vida ao sabor da carne é inimiga de Deus, pois não se sujeita à lei de Deus, e tampouco pode.

8 Os que vivem pois segundo a carne, não podem agradar a Deus.

9 Vós porém não sois da carne, senão do espírito, se é que o espírito de Deus habita em vós. Mas se alguém não tem o espírito do Cristo, este tal não é dele.

10 Se, porém, o Cristo está em vós, o corpo na verdade está morto para o pecado, mas o espírito vive realmente pela justificação.

11 Porque se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dos mortos habita em vós, ele, que ressuscitou Jesus Cristo dos mortos, também vivificará vossos corpos mortais, pois que seu Espírito fará domicílio em vós.

12 Portanto, irmãos, não somos devedores à carne, para que vivamos segundo a carne.

13 Porque se viverdes segundo a carne, morrereis; mas se mortificardes as obras da carne pelo espírito, vivereis.

14 Pois todos quantos são inspirados pelo Espírito de Deus, estes são filhos de Deus.

15 Porque vós não recebestes, novamente por temor, o espírito de servidão, mas recebestes o espírito de adoção filial, no qual clamamos: Abba, Pai.  † 

16 Pois o próprio Espírito dá testemunho ao nosso espírito, de que somos filhos de Deus.

17 Ora, se somos filhos e herdeiros, somos certamente herdeiros de Deus e coerdeiros do Cristo; se, contudo, com ele padecermos, com ele seremos glorificados.

18 Porque tenho para mim que as aflições do presente, não se comparam com a glória vindoura que se manifestará em nós.

19 Pelo que a ansiosa expectação da criatura é esperar a manifestação dos filhos de Deus.

20 Porque a criatura ficou sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por aquele que a sujeitou,

21 Na esperança de que também a mesma criatura se libertará da sujeição à corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.

22 Por que sabemos que todas as criaturas gemem, e darão à luz doravante,

23 E não só elas, mas nós mesmos também, que temos as primícias do espírito, também gememos intimamente, esperando na adoção filial de Deus, o resgate do nosso corpo.

24 Porque pela esperança fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é mais esperança. Como pode alguém esperar o que se vê?

25 E se o que não vemos esperamos, por paciência o esperamos.

26 Da mesma forma também o Espírito vem em auxílio da nossa fraqueza, porque quando oramos ignoramos o que nos convém; mas o mesmo Espírito intercede por nós com lamentos inexprimíveis.

27 E aquele que pescruta os corações sabe qual é o desejo do Espírito, o qual, segundo Deus, intercede pelos santos.

28 Ora, sabemos que aos que amam a Deus, todas as coisas lhes contribuem para seu bem; os quais, segundo seus desígnios, são chamados santos.

29 Porquanto os que na sua presciência predestinou, conforme à fiel imagem de seu Filho, para que sejam eles os primogênitos entre muitos irmãos.

30 E aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou também os glorificou.

31 À isto, pois, que diremos? Se Deus é por nós, quem será contra nós?

32 Aquele que não poupou nem mesmo seu próprio Filho, mas por nós todos o entregou: Como não nos dará também com ele todas as coisas?

33 Quem apresentará acusação contra os eleitos de Deus, a quem Deus justifica?

34 Quem os condenará? Jesus Cristo, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à destra de Deus, que também intercede por nós.

35 Quem pois nos separará da caridade do Cristo? a tribulação? ou a angústia? ou a fome? ou a desnudez? ou o perigo? ou a perseguição? ou a espada?

36 (Assim como está escrito: Que por ti somos entregues à morte todo dia; somos reputados como ovelhas para o matadouro). ( † )

37 Mas de tudo isto saímos vencedores por aquele que nos amou.

38 Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as virtudes, nem o presente, nem o futuro, nem a violência,

39 Nem a altura, nem a profundidade, nem criatura alguma poderá nos separar da caridade de Deus, que está em Jesus Cristo nosso Senhor.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; Novum Testamentum Graece 28th revised edition, edited by Barbara Aland and others; Parallel Greek New Testament by John Hurt


.

Abrir